blind_pigs
Foto por Tinho Sousa
 

Com mais de 20 anos de história, a banda paulista Blind Pigs, uma das referências do punk nacional, se despediu dos palcos e apagou as luzes em 2016. Agora, 5 anos depois, chega ao mundo “o último testamento dos Porcos Cegos”, como diz a contra capa do álbum Lights Out, lançado no último dia 26 de Fevereiro.

O disco tem produção assinada por Átila Ardanuy e foi gravado entre 2013 e 2015, antes da banda anunciar o seu fim. Lançado pela HBB Records, o trabalho já está disponível nas plataformas digitais e ainda recebeu edições em CD e vinil de 10 polegadas. O ex-guitarrista Gordo, atualmente na banda O Preço, celebra o lançamento.

Emocionante e gratificante ver essas músicas saindo em vinil e CD depois de mais de cinco anos prontas.

traz de volta à memória toda a energia que a banda estava na época.

Desde 2008, o Blind Pigs vinha compondo apenas em português, mas aqui revive os velhos tempos e apresenta um registro totalmente cantado em inglês. Segundo o vocalista Henrike Baliú atualmente à frente da Armada , apesar de preferir escrever em sua língua nativa, a volta para a língua inglesa veio após os discos da banda começarem a sair na gringa.

Entre as oito faixas que compõem Lights Out, estão as inéditas “Restless Resistance”, “Steel Toe Judges” e “Not Dead Yet”. O álbum conta ainda com cinco covers: “Real Enemy” (The Business), “Misguided Memories” (The Freeze), “New Generation” (Zero Boys), “God Damn Job” (The Replacements) e a faixa título “Lights Out” (Angry Samoans). Fora as três composições próprias, todas as versões que estão no disco, a princípio, tinham destinos diferentes, conta Henrike.

As músicas do lado B foram gravadas para serem um EP tributo ao hardcore americano anos 80. Todas as bandas que gravamos foram bandas cruciais para nossa formação musical. Era o que a gente escutava quando montamos o Blind Pigs. ‘Real Enemy’, da banda Oi! inglesa The Business, foi gravada para um tributo que um selo europeu iria lançar, mas que nunca saiu do papel.

Não poderia ser diferente. O lançamento do single “Not Dead Yet”, em Janeiro, e agora a chegada do álbum póstumo causaram furor entre os fãs que questionam se a banda voltará ou não à ativa. Henrike responde:

Hoje, eu digo que não. Eu, o Mauro, o Galindo e o Arnaldo estamos felizes com a Armada. Sei que o Gordo está feliz também com O Preço, mas é aquela coisa, ‘nunca diga nunca’.

Ouça a seguir Lights Out na íntegra.