Kevin Parker lamenta separação do Daft Punk
Reprodução / YouTube
 

Após 28 anos de carreira, o Daft Punk anunciou nesta segunda-feira (22) que estava encerrando suas atividades pegando todos os seus admiradores de surpresa.

Um deles foi Kevin Parker, vocalista do Tame Impala, que comparou o “choque” que tomou com a notícia com o mesmo que ele toma quando sabe da morte de alguém (via NME).

Conversando sobre a separação da dupla formada por Guy-Manuel de Homem-Christo e Thomas Bangalter, Parker comentou com Matt Wilkinson da Apple Music como conheceu o som do Daft Punk:

Acho que eu estava sentado em frente à TV quando era criança, assistindo a clipes nas manhãs de sábado.

Na verdade, foi isso. Acho que foi [o clipe de] “Da Funk”. Quase me lembro da primeira vez. Eu não gostava muito desse tipo de música na época, mas definitivamente ficou preso no meu cérebro. Eu fiquei tipo: ‘o que é isso?’.

Admiração de Kevin Parker pelo Daft Punk

Parker compartilhou que a notícia da separação o abalou emocionalmente e fez com que ele ficasse se questionando o porquê da decisão.

Quer dizer, acho que não esperava ser tão emotivo quanto antes. Principalmente porque assisti ao vídeo que eles lançaram, aquela coisa de tipo oito minutos, que eu acho que já saiu em um filme deles, obviamente re-contextualizado para eles anunciarem a separação, mas realmente me emocionou.

Realmente me comoveu. Eu me pergunto o que foi que os fez querer fazer isso e anunciá-lo, porque obviamente eles não lançaram nada desde ‘Random Access Memories’ (2013). Sim, isso me abalou.

É quase como quando você ouve sobre alguém que morreu. Eu sei que obviamente não é tão trágico como quando alguém morre, mas esse tipo de choque.

O cantor ainda comentou sobre uma conversa com seus companheiros do Tame Impala, Jay Watson e Dominic Simper, em que ele apontou que precisava ter muita coragem para tomar uma atitude dessas:

Meu telefone explodiu. Mandei uma mensagem para Dom e Jay, o grupo antigo, dizendo… É. Quero dizer, bom para eles por serem capazes de [fazer isso]… Isso deve exigir muita coragem para ser feito, e não apenas dizer, ‘Alguém pode nos oferecer um bilhão de dólares por um show no próximo ano. Talvez vamos apenas aguentar.’ Você sabe, apenas dizer, ‘Este é o fim.’ Acho que é preciso muita coragem.

Em 2018, o músico australiano que acumula colaborações e trabalhos fora da banda contou que sonhava em fazer uma parceria com o duo francês, considerado por ele como “deuses”.

Outros artistas e ex-colaboradores do duo francês como The Weeknd, Julian Casablancas dos The Strokes e Nile Rodgers também saudaram os integrantes do Daft Punk após a separação.

Segundo a NME, os fluxos das músicas do duo tiveram um grande aumento após o anúncio da separação deles. Assista abaixo ao clipe de “Da Funk” citado por Parker.

LEIA TAMBÉM: Daft Punk, Phoenix e as origens Rock and Roll do nome do duo