Foto por Evely Cardoso
 

Natural de Salvador, mas atualmente radicada na capital paulista, a cantora baiana Persie abriu o mês de Fevereiro com novo single e videoclipe.

“Conexão” é a palavra-chave de “Antenas”, faixa que remete a uma das formas mais antigas de comunicação para abordar a intensidade dos relacionamentos contemporâneos.

Inspirada em artistas de diferentes estilos como Guilherme Arantes, Stereolab, Can e Faust, a canção é regada de synthpop e conta com nuances doces e melancólicas. A cantora frisa que o sentimento de nostalgia foi essencial para a composição da letra de “Antenas”.

Tive a primeira ideia para a música quando me vi observando um mar de antenas diante do amanhecer silencioso do Centro de São Paulo. Recentemente, vi um casal de pássaros repousando sobre o metal e tomando banho de sol. Isso me deu saudade do Porto da Barra, que é uma praia banhada pela Baía de Todos os Santos. Assim, consegui finalizar a música. Foi como se eu estivesse na mesma frequência de lá.

O single foi gravado no Studio Vip, em São Paulo, após Persie vencer um concurso e ganhar a possibilidade de desenvolver toda a produção da música no local. A produção, a mixagem e a masterização ficaram a cargo de Rodrigo Guess.

Para a concepção da melodia, a artista contou com o suporte dos músicos Dreg Araújo (baixo), Carlos Tupy (guitarra e sintetizadores), Chris Kuntz (guitarra e monotron) e Dio Costa (bateria, kaossilator e backing vocals).

Persie vem preparando os últimos detalhes para o lançamento do seu álbum de estreia, no entanto, antes disso, outros singles devem ser disponibilizados. Abaixo, você pode assistir ao clipe de “Antenas”, com direção, imagens e edição de Helder Matheus.

Fábio Santanna

fabio_santanna
Foto: Reprodução / YouTube

O músico e produtor carioca Fábio Santanna embarcou no desafio de fazer um clipe solar, com clima de verão, em plena pandemia. O artista recorreu a criatividade para contornar as limitações e produzir o vídeo de “Fixação“, faixa do álbum Vibração, o terceiro disco do projeto Live Motel.

Tingido pelas cores do pôr-do-sol e cenas de mar, o videoclipe imprime a alegria dançante do trabalho. O filme contou com a presença da modelo baiana Janaína Diniz direto da Europa. Ela filmou as suas cenas num estúdio londrino e Fábio editou e inseriu as imagens no clipe, que também conta com a participação do amigo e parceiro beatmaker Nbeatz na bateria, somando ainda mais pulsação ao clipe!

A distância física só colaborou, pois ajudou a trazer uma certa sensação da personagem estar no imaginário, na fixação, no amor platônico. O resultado é cor, calor e música pop! E o verde e rosa do casaco que uso é uma homenagem à Mangueira, minha escola do coração! Fixação vem crocante!

Fábio Santanna é um artista sem fronteiras que une sons da música brasileira com housepop, funk e soul em faixas dançantes que reverberam o calor dos trópicos. Com seu groove dançante, temperado por pitadas de Marcos Valle e Lincoln Olivetti, “Fixação” é brazilian boogie, leve, alegre e sexy. Sintetizadores, vocais, falsetes, guitarras e uma insinuante linha de baixo criam a atmosfera quente e colorida para aquele gostoso amor de verão!

De todas as nomenclaturas que o mercado tenta enquadrar o artista, a que eu mais me identifico é o de música pop. Sempre bebi em diversas fontes, música pra mim é liberdade. E, de maneira muito natural, gosto de subverter e escapar de limitações, pra não ficar restrito ao black, ao soul, ou à MPB… Acho o pop mais adequado, mais democrático, pois abraça uma gama muito maior de sonoridades. E ‘Fixação’ é pop, sem deixar de ser musica preta.

MIDRA

MIDRA
Foto por Lucas Ferreira

O músico e compositor MIDRA divulgou recentemente o videoclipe de seu mais recente single, “Ser Feliz“. A produção audiovisual fala sobre a liberdade emocional e aborda em sua temática relacionamentos abusivos, os traumas de uma relação tóxica e a superação dos mesmos.

O filme traz a atuação de Mariana Cardosi, que soube, literalmente, se colocar na pele de uma das tantas vítimas de abusadores. A mulher que se vê refém das exigências do parceiro controlador de suas roupas, seu cabelo, da identidade que ele lhe rouba. As cenas interpretadas por Mariana poderiam ser protagonizadas por muitas outras mulheres, que se perderam nas vontades de seus companheiros, mas muito além disso, mostram que existe saída.

São nos takes em que Mariana está fora do carro e dialoga com seu parceiro por celular que vemos a força de um “basta”, muitas vezes não digerido pelo outro. No roteiro do vídeo, se faz valer como a resposta final o bordão utilizado com tanta força e presença por pessoas abusadas em qualquer nível: não é não.

A sutileza da composição de MIDRA reflete uma calmaria que chega após as tempestades e combina com a liberdade conquistada depois do rompimento de ligações sufocantes. A união de instrumentos orgânicos e eletrônicos em “Ser Feliz” traz um ar etéreo, sonhador de um porvir de mais alegrias e menos dores.

O roteiro é assinado pelo músico em parceria com Lucas Ferreira, que também ficou responsável pela direção. Dada a complexidade do tema e a importância do debate sobre o mesmo, o clipe ganhará, em breve, uma versão estendida, na qual é possível acompanhar o desdobramento da história e da superação da personagem principal.