benny blanco
Divulgação
 

Você pode ou não ter ouvido falar de benny blanco, mas é fato que você já ouviu alguma música com o toque mágico do músico que, com 32 anos, já acumulou mais hits do que muitos artistas em uma vida inteira.

Não faz muito tempo que benny se lançou como artista solo e já disponibilizou sucessos como “Eastside” (parceria com Halsey Khalid que conta com mais de 1 bilhão de reproduções só no Spotify), “lonely” (com Justin Bieber) e, mais recentemente, a ótima “You”, na qual aparece ao lado de Vance Joy Marshmello.

Seu catálogo por trás da fama, no entanto, vai muito (muito mesmo) além e inclui alguns dos maiores artistas e canções das últimas décadas: desde “Circus” (Britney Spears) até “Love Yourself” (Justin Bieber), passando por “California Gurls” (Katy Perry), “Diamonds” (Rihanna) e “Moves Like Jagger” (Maroon 5), inúmeros sucessos têm blanco como produtor ou até mesmo compositor.

Justamente por isso, não poderíamos perder a oportunidade de bater um papo com esse mega nome da música mundial e, logo abaixo, você pode conferir a conversa na íntegra.

Entrevista com benny blanco

TMDQA!: Oi, benny! Como você está?

benny blanco: Eu estou bem! Eu também tenho mais discos que amigos.

TMDQA!: [risos] Já temos isso em comum pelo menos! Um prazer te conhecer e estar falando contigo, benny. Queria já começar perguntando sobre o novo single, “You”. Você já comentou que é amigo do Vance Joy e do Marshmello há algum tempo, então eu queria saber como foi ter essa nova relação — profissional, como músicos — com eles. Mudou algo?

benny: Sim, bom, com o Vance é sempre tipo… uma batalha entre os dois. A gente está de rolê, estamos comendo algo, e de repente, “Ah, parece que estamos escrevendo uma música”. E com o Marshmello eu nunca tinha escrito nada antes, e ele simplesmente estava na minha casa e eu lembro que eu toquei essa demo na qual eu tinha trabalhado com o Vance pra ele e falei, tipo, “Ei, a gente devia fazer algo com isso”. E ele literalmente só foi até o meu piano e começou a tocar a linha principal, o que viria a ser a linha principal.

E eu fiquei tipo, “Quê? Como você fez isso?”. E ele, tipo, “Ah, cara, eu tenho essas melodias principais saindo de mim o dia inteiro”. [risos] E aí antes mesmo de percebermos a música já estava pronta, sabe.

TMDQA!: Imagino! O Marshmello é realmente incrível, especialmente como músico. As pessoas o subestimam demais.

benny: Sim, demais.

TMDQA!: Esses dois mundos são bem diferentes, né? O Folk do Vance Joy e meio que a pegada eletrônica do Marshmello. Você sente que foi uma ponte entre esses dois universos nessa canção?

benny: Totalmente. Mas, tipo, o Marshmello… ele é sempre muito bom em, tipo, unir gêneros diferentes. Seja algo mais alternativo, seja Pop, seja Rap, ele é muito bom nisso. E o Vance é tão disposto a tentar coisas diferentes — ele fica feliz só de participar. [risos] É sempre tipo, “Claro, cara, o que você quiser”. É tão fácil trabalhar com ele.

TMDQA!: E a cada dia mais a gente tem visto esses cruzamentos de gêneros, né? Você sente que esse é o futuro da música, sem classificações específicas?

benny: Eu vivi a minha vida inteira assim. Eu não… tipo, se eu estou fazendo uma música Pop e eu quero colocar elementos do Rap ou do baile Funk nela ou qualquer outra coisa, eu vou fazer o que quer que faça eu me sentir confortável naquele momento. Porque eu acho que essas coisas diferentes com as quais as pessoas não estão necessariamente acostumadas são o que faz a música ser empolgante, sabe?

Você senta ali e fica tipo, “Cacete, o que é isso? Eita, o que é isso?”. Soa um pouquinho como algo que você já ouviu, mas também soa um pouquinho como outra coisa que você já ouviu. E aí é tipo, “Pô, isso é maneiro”.

TMDQA!: Pois é, eu adoro isso! Foi bem interessante também ler as letras de “You”, porque ela tem toda essa atmosfera feliz e que faz você se sentir bem mas, ao mesmo tempo, fala de um tema que é especialmente delicado na pandemia — querer estar perto das pessoas que você ama, precisar de alguém do seu lado. Eu diria até que ela pode ser vista como uma música triste, no fim das contas! Você concorda?

benny: Sim, tipo, pra mim… todas as minhas músicas, “lonely”, “Eastside”, todas elas, “Roses”, todas são músicas que eu gosto que tenham algum tipo de melancolia vinculado a elas. Mesmo que sejam músicas felizes, eu quero que vocês pensem nisso de uma maneira diferente — dê um passo pra trás, olhe de novo, reexamine as coisas na sua vida, sabe?

benny blanco, Justin Bieber e Juice WRLD

TMDQA!: Sim, sem dúvida. E, bom, já que você falou de “lonely”, também é um hit gigante. Como foi trabalhar com o Justin Bieber pra essa música?

benny: Com o Justin é, tipo, a gente trabalha junto desde 2009. A gente já teve tantas músicas e eu já o vi nos seus altos e nos seus baixos e pra mim é, tipo… sabe, todo mundo meio que coloca esses artistas de forma geral sob um microscópio. E é, tipo, eles vivem uma vida… é uma vida difícil.

Se você comete um erro e você faz algo estúpido, seus amigos ou sua mãe vão dizer, tipo, “Ei, você é um idiota”. Mas se o Justin Bieber faz algo estúpido, é uma notícia mundial no dia seguinte. É muito… a pressão que essas pessoas recebem… e ele é só um cara normal, sabe? E eu acho que pela primeira vez ele está fazendo a música que ele realmente… ele está confortável o suficiente consigo mesmo para fazer músicas que realmente só, tipo, ele pode te contar o que está passando e o que está acontecendo com ele. E eu acho que isso é algo que precisa ser dito, ele ter a coragem de fazer isso, sabe?

TMDQA!: Sim, completamente. benny, foi mal, mas não consigo mais resistir. O que aconteceu com a sua mão [que estava enfaixada]?

benny: Cara, acredita que acabou de acontecer? Eu queimei minha mão fazendo molho hoje mais cedo. [risos] Eu estava tipo, no telefone falando com alguém e acabei tocando em uma forma de ferro que estava muito quente. Tipo, literalmente alguns minutos atrás.

TMDQA!: Putz. [risos] Eu já fiz isso uma vez também. Estava tirando um negócio do forno e peguei com um pano, daí senti que estava quente e acabei trocando para a mão sem pano. [risos] Às vezes a estupidez do ser humano…

benny: Foi bem isso que aconteceu comigo. Vamos ser estúpidos juntos. [risos]

TMDQA!: Enfim, voltando ao assunto! Entre “lonely” e “You”, você também lançou uma música póstuma com Juice WRLD, com quem você já tinha trabalhado antes de seu trágico falecimento. Quão difícil foi fazer isso agora? E foi muito diferente trabalhar com essa música antes e depois dele estar aqui?

benny: Sabe, é engraçado, essa foi a primeira música na qual nós trabalhamos. “Real Shit”, no caso. Então, basicamente, logo no primeiro dia que nos juntamos a gente escreveu tipo cinco músicas — duas delas foram “Real Shit” e “Roses”, que eu lancei há um tempo.

E, sabe, cara… Ele era tão… Eu soube assim que eu entrei na sala. Tipo, “Eu estou entrando aqui com um dos maiores de todos os tempos”. Ele é o melhor, ele é uma lenda. E eu só fico bem feliz que as pessoas estejam podendo ouvir essas músicas, que elas estejam sendo lançadas, sabe?

TMDQA!: E é incrível, ele tem tanto material gravado, né? É realmente de partir o coração imaginar tudo que poderia surgir ainda.

benny: Meu Deus, cara… Eu sei, é uma perda enorme. Ele morreu cedo demais. Demais, demais mesmo.

benny blanco

TMDQA!: Como se não bastasse tudo isso, você também tem um enorme catálogo de hits que você escreveu para outros artistas. Eu sempre me pergunto quando conheço alguém que se divide entre compositor, produtor e artista… tem algum que você goste mais de fazer?

benny: Nesse momento, nesse ponto, eu realmente estou curtindo fazer a coisa de ser artista. Porque eu faço os clipes, eu faço a arte, o marketing, eu faço tudo do jeito que eu quero, sabe?

TMDQA!: Sei! E com tantos hits na careira, conta pra gente: tem algum segredo pra escrever esses sucessos?

benny: Todo mundo sempre pergunta isso! Eu queria saber o segredo, porque aí eu faria sempre.

TMDQA!: Estou desconfiado. Se tivesse um segredo, você contaria?

benny: [com cara de sério] Não. [risos] Sim, eu falaria! Eu falaria pra todo mundo pra que todo mundo pudesse escrever um milhão de hits.

TMDQA!: Bom saber! [risos] Mas é interessante você dizer isso, porque você começou a produzir em um estúdio caseiro quando isso ainda não tinha nem de longe a popularidade que tem hoje. Imagino que você ache bem interessante ver a popularização e democratização do acesso à produção musical, né?

benny: Eu sempre fui um cara de estúdios caseiros! Até quando eu estou em um grande estúdio, eu peço para montarem um pequeno estúdio, tipo, bem pertinho do estúdio grande. Tem menos pressão, sabe? Eu não gosto da pressão de ter que fazer as coisas. Quando você está em um estúdio tem tanta pressão, você pagou dinheiro para estar ali… eu só gosto de fazer as coisas com os meus amigos, manter tudo de uma forma bem discreta, me entende?

TMDQA!: Sim, e realmente fica bem claro na vibe das suas músicas. Falando rapidamente sobre a sua carreira como artista, você lançou um disco em 2018 e agora você está lançando singles. Há algum plano para um novo álbum?

benny: Sim, eu vou lançar um em Março!

TMDQA!: Eita, foi mal, eu acho que perdi essa informação. [risos]

benny: Não, não, eu não tinha anunciado ainda. Meio que acabei de anunciar pra você.

TMDQA!: Uau! Então beleza, vou ficar no aguardo. Achei que eu tinha vacilado nessa! [risos] E sei que por enquanto temos a pandemia, mas como estão seus planos de turnê? Alguma chance de passar aqui pelo Brasil? Você recebe muitos “Come to Brazil”? [risos]

benny: Demais! Os fãs brasileiros são os mais malucos. Os fãs brasileiros estão literalmente mais ligados do que todo o resto do mundo. O Brasil é o que faz o mundo girar, tá ligado?

TMDQA!: Não poderia concordar mais! [risos] Acho que seu show seria perfeito por aqui, de repente em algum festival…

benny: Eu sei! Na real que eu nunca… tipo, mesmo que eu esteja na frente das câmeras agora eu sempre gostei de estar por trás delas. [risos] Shows são tipo, pressão demais pra mim.

TMDQA!: Entendo. [risos] Pra fechar, benny, você disse que também tem mais discos que amigos. Consegue me dizer um que tenha sido ou ainda seja seu melhor amigo?

benny: Putz, pergunta difícil! Eu gosto de ouvir músicas mais antigas, e eu ouço tudo desde Prince até Brian Eno até Serge Gainsbourg, mas eu também ouço músicas novas, eu ouço Rap, eu ouço Pop, eu ouço tudo…

TMDQA!: É, quando você tem mais discos que amigos eu acho que é uma pergunta difícil mesmo. [risos]

benny: Eu tenho uma pergunta pra você.

TMDQA!: Diga!

benny: Qual o seu disco preferido?

TMDQA!: Putz, é difícil mesmo, né? Eu tenho uma tatuagem do White Pony, do Deftones, então eu acho que essa deveria ser a minha escolha. Mas, sei lá, pra falar a verdade acho que eu escolheria o Revolver, dos Beatles.

benny: Ok, ok! Isso é respeitável! [risos]

TMDQA!: Fico feliz! [risos] benny, muito obrigado pelo seu tempo e foi um prazer conversar contigo. Nos vemos na próxima!

benny: Eu que agradeço! Até mais!