Marilyn Manson no programa de Bill O'Reilly
Reprodução/YouTube
 

A situação de Marilyn Manson não está melhorando.

Após perder o contrato com sua gravadora e os papéis que iria interpretar nas séries American Gods e Creepshow, o empresário Tony Ciulla, que administrou a carreira de Manson por 25 anos, pediu demissão segundo uma fonte da Rolling Stone.

A decisão de Ciulla foi tomada depois que a atriz e ex-noiva de Manson, Evan Rachel Wood acusou o cantor de abuso e compartilhou denúncias de outras mulheres.

Marilyn Manson e Tony Ciulla

A relação de trabalho entre Tony Ciulla e Marilyn Manson começou em 1996, quando o artista lançou seu segundo álbum de estúdio Antichrist Superstar.

Ao longo dos anos Ciulla se tornou um forte aliado do cantor de rock chegando a defendê-lo das críticas após o tiroteio em Columbine, em que tentaram relacioná-lo a dois estudantes que atiraram em alunos e em um professor na Columbine High School.

Além disso, o empresário também ajudou Manson a enfrentar diversos processos judiciais. Atualmente, ex-membros da banda de Marilyn estão processando o artista por disputas de royalties e alegando agressões aos profissionais de segurança em shows.

Novas acusações contra Marilyn Manson

Desde as primeiras acusações feitas por Evan Rachel Wood novas denúncias estão surgindo e as atitudes de Manson só surpreendem cada vez mais.

Segundo relatos da fotógrafa Erica Von Stein ao jornal The Sun (via Blitz), Marilyn obrigou falou para que fãs tirassem suas roupas após um show em Glasgow, na Escócia, em 2012.

De acordo com Stein, ela foi uma das “escolhidas” da plateia pela equipe de Manson e após o show foi levada ao ônibus da banda. A fotógrafa conta que se escondeu atrás de outras jovens no momento em que o artista pediu para que elas tirassem a roupa:

Ele disse que queria ver quem tinha os melhores peitos e as melhores bundas. Todas ficaram espantadas. Mas ele se comportou como se aquilo fosse normal e divertido.

Ele estava rodeado por pessoas mais velhas e no controle da situação. Acho que todas sentiram que não podiam dizer não.

O The Sun conversou com outras mulheres que estavam no veículo naquele dia e algumas acrescentaram que o músico ofereceu bebida para que elas perdessem a vergonha.

Até o momento, Manson não se pronunciou sobre as novas acusações. O artista só falou sobre o assunto logo depois das alegações de Evan Rachel Wood e dos textos de outras mulheres compartilhados por ela.

Ele negou as acusações e citou em comunicado que seus relacionamentos íntimos sempre foram “inteiramente consensuais”.

LEIA TAMBÉM: Vocalista do Wolf Alice acusa Marilyn Manson de filmar suas partes íntimas em backstage de festival

 
Compartilhar