Clubhouse App
Foto do Clubhouse via Shutterstock
 

Nos últimos dias, a rede social Clubhouse se transformou em uma grande febre inesperada.

O aplicativo está disponível apenas para iPhone (por enquanto) e ganhou notoriedade recentemente pela presença de grandes figuras mundiais como DrakeAshton Kutcher e em especial Elon Musk, o homem mais rico do mundo.

Foi com Musk que a rede chamou atenção depois que o bilionário participou de um papo sobre temas que foram desde a colonização de Marte até a recente crise na bolsa de valores que envolveu diretamente o aplicativo Robinhood, cujo presidente executivo foi convidado por Elon para a conversa.

Até o diretor do Big Brother Brasil, Boninho, usou o aplicativo recentemente para falar sobre o programa que vem sendo uma das atrações mais notáveis da televisão em 2021. Desde então, muita gente tem questionado como conseguir acesso à plataforma — o que não é tão simples assim — e do que exatamente se trata.

A gente te explica tudo!

Como funciona o Clubhouse

Basicamente, o Clubhouse é uma rede social que usa áudio ao invés das mensagens escritas que vemos tradicionalmente.

As únicas imagens presentes no app são as fotos de perfil dos participantes, que se organizam em salas de bate-papo com capacidade para até 5 mil pessoas (o limite foi atingido rapidamente durante a participação de Elon Musk).

Claro que tudo isso exige a presença de um moderador para eventos grandes, garantindo um controle maior de quem vai falar e quando.

Para isso, o sistema é parecido com o de videoconferências que se popularizou durante a pandemia: quando alguém quiser falar, é preciso “levantar a mão” por meio de um emoji e aguardar a sua vez. Em salas menores, no entanto, todos podem falar livremente.

Uma das grandes sacadas do app é a questão da privacidade, cada vez mais importante: não é possível gravar as conversas e a própria plataforma também não armazena nada (a não ser que seja feita uma denúncia de violação dos termos de uso, é claro). Isso fez até mesmo com o Clubhouse acabasse banido da China, onde usuários tratavam de assuntos sensíveis na plataforma.

Mais do que isso, ele ganhou um status notável de exclusividade em grande parte devido à presença de celebridades e à dificuldade de “pessoas comuns” conseguirem se inscrever. Mas como funciona isso?

Como participar do Clubhouse

É simples e, na verdade, não tem nada a ver com uma proposta elitista ou de exclusividade: o aplicativo ainda é considerado como estando em fase de testes e, devido à complexidade de lidar com as salas enormes e o formato por áudio, os desenvolvedores ainda não conseguem liberá-lo para todo mundo.

Por isso, a rede social adota por enquanto o modelo de convites. Quando você baixa o app, pode sincronizá-lo à sua lista de contatos do celular e ver se algum dos seus amigos e/ou conhecidos possui acesso e poderia chamá-lo para participar. Fora isso, por enquanto, não há outro jeito de entrar nessa onda.

Quer dizer, mais ou menos: a demanda tem sido tão grande (como mostra um crescimento de mais de 500% nas buscas pela plataforma no Google nos últimos dias) que tem gente até vendendo a possibilidade de acesso — o que, naturalmente, não é a proposta inicial dos desenvolvedores.

Se você não tiver pressa, pode ficar tranquilo. É só esperar e eventualmente o acesso ao Clubhouse deverá ser permitido sem convites!

LEIA TAMBÉM: Após explodir foguete, Elon Musk quer implantar chip em cérebros para ouvir música

 
 
Compartilhar