Steven Tyler, Mariah Carey, Lauryn Hill e Michael Jackson
 

“Chegar chegando” é uma expressão popular usada para algo que, sem qualquer aviso prévio, se torna o centro das atenções. Quando digna do uso dessa locução verbal, uma pessoa pode apagar o brilho de outra em uma festa, por exemplo.

É mais ou menos assim o impacto de uma canção que estreia logo na primeira posição da Billboard Hot 100, a mais respeitada parada musical do mundo. Em uma única semana, uma única música consegue ultrapassar singles que foram construindo sua reputação e trajetória ao longo de semanas ou até meses.

Recentemente, a jovem e talentosa cantora Olivia Rodrigo impressionou a todos ao fazer de sua canção de estreia, “Drivers License“, um hit #1 de uma semana para outra. Mas sabia que outras 47 canções também tiveram essa conquista meteórica?

Seja por conta de marketing (como lançamentos de filmes), impacto social ou até mesmo falta de coisa melhor na época, essas músicas se tornaram fenômenos instantâneos de vendas ou, mais recentemente, de reproduções. E, com a rapidez dos tempos atuais e o acesso facilitado, podemos concluir que isso será algo cada vez mais constante nos charts de música.

Sem mais delongas, confira abaixo nossos destaques nessa lista das melhores canções que “chegaram chegando” na Hot 100. Para ranquear as escolhas, usamos como critério não apenas a qualidade da música, como também o contexto de lançamento e seu impacto para a indústria.

 

10 – “Doo Wop (That Thing)” (Lauryn Hill)

Anteriormente conhecida por seu trabalho no grupo Fugees, Lauryn Hill foi direto para o topo justamente com seu single de estreia solo.

Doo Wop (That Thing)” é o single principal do único disco da cantora, o emblemático The Miseducation of Lauryn Hill.

Lançada em 1998, a canção ganhou repercussão por sua proposta de empoderar mulheres no mundo da música, já que quem assina sua composição e produção é a própria Lauryn. Não à toa, o hit, um dos carros-chefes de seu repertório, ganhou uma sobrevida invejável.

 

9 – “Fantasy” (Mariah Carey)

Até hoje, Mariah Carey é a cantora que mais vezes conseguiu estrear logo no topo com seus singles, mas isso não é nada por acaso. Afinal, seu talento nunca deixou a desejar.

Além de emplacar na Billboard os hits “Honey” (1997) e “One Sweet Day” (1995, em parceria com os Boyz II Men), sua “carteirada” mais emblemática foi com o hit “Fantasy” (1995).

Esse dançante R&B foi a primeira música cantada por uma mulher a atingir essa conquista. No topo, permaneceu durante mais sete semanas. Rainha, né?

 

8 – “You Are Not Alone” (Michael Jackson)

O cantor Michael Jackson foi o primeiro artista a “chegar chegando” no topo sem pedir passagem para ninguém. Em 1995, ele lançou “You Are Not Alone“, canção escrita e produzida por R. Kelly que Michael prontamente associou a eventos então recentes de sua vida.

Antes disso, por sinal, o recorde de “melhor estreia” na parada era do próprio “rei do pop”. “Scream“, parceria com sua irmã Janet Jackson também presente no disco HIStory: Past, Present and Future, Book I, tinha estreado meses antes na quinta posição.

 

7 – “I Don’t Want to Miss a Thing” (Aerosmith)

Chegou a hora de falar sobre esse grande parceiro do mundo da música: o cinema. Se canções originais sempre foram uma constante para as telonas, foi durante as décadas de 1990 e 2000 surgiram as mais importantes músicas para essa colaboração infalível.

A power balladI Don’t Want to Miss a Thing“, do Aerosmith, é um ótimo exemplo disso. Lançada em 1998 como principal canção promocional para o filme “Armageddon”, ela estreou no topo da Hot 100, tirando o hit “The Boy Is Mine” (Brandy & Monica) da primeira posição.

E podemos garantir que não é a única música de filme a aparecer por aqui.

 

6 – “cardigan” (Taylor Swift)

O ano de 2020 foi o mais atípico da história recente do planeta. No mundo da música, fez com que muitos artistas tivessem que repensar seu modo de produzir e divulgar arte. Diante do momento delicado para a sociedade como um todo, alguns partiram para canções mais introspectivas, como aconteceu com Taylor Swift.

O cultuado álbum folklore foi lançado de surpresa durante a pandemia, com uma pegada totalmente diferente do antecessor Lover (2019). “cardigan“, o primeiro single, sintetizou o sucesso inesperado (ou esperado) do disco ao estrear logo no topo da parada da Billboard. Mais tarde no ano, Taylor conseguir repetir o feito com “willow“, faixa de seu (ainda mais) novo lançamento evermore.

Só em 2020, artistas como Cardi B, Ariana Grande, Travis Scott, Drake e Lady Gaga também conseguiram estrear em #1, mas nenhum desses lançamentos conseguiu representar melhor o efeito intimista de 2020.

 

5 – “I’ll Be Missing You” (Puff Daddy & Faith Evans Featuring 112)

Quem estava atento ao mundo da música em 1997 jamais imaginaria que uma canção que sampleia The Police surgiria da noite para o dia no topo da mais importante parada musical do mundo. Foi exatamente o que aconteceu com “I’ll Be Missing You“, colaboração entre Puff Daddy e Faith Evans.

Existe uma grande e triste história por trás de tudo, já que a canção é uma homenagem ao legado do rapper The Notorious B.I.G., assassinado meses antes. Na época, disputas entre gangues dividiam a cena do hip hop. A sincera carta de saudade de Puffy foi um dos grandes sucessos a ajudar a dar mais visibilidade para essa questão.

Para saber mais sobre essa música, confira o episódio do #TBTMDQA que fizemos sobre esse grande hit.

 

4 – “Harlem Shake” (Baauer)

Definitivamente, “Harlem Shake“, do produtor musical Baauer, não é a melhor música do mundo. No entanto, existe um simbolismo gigante por trás do fato de que essa sensação viral estreou logo no topo da mais prestigiada lista musical da indústria.

O poder da viralização, em tempos em que a internet está cada vez mais presente na vida das pessoas, é monumental e é objeto de atenção de cada vez mais nomes da indústria. Por sinal, a música foi lançada originalmente em 2012, mas não passou sequer perto da atenção da imprensa e do público até se tornar um viral no início do ano seguinte.

Durante a onda de sucesso dessa canção, a Billboard passou a incorporar visualizações de vídeos como um fator para contribuir com a definição das paradas. É a história sendo feita!

 

3 – “This Is America” (Childish Gambino)

Incontáveis fatores contribuíram para que “This Is America“, de Childish Gambino, se tornasse um hit meteórico. Lançada em 2018, a canção é uma urgente denúncia ao racismo, tocando em temas como brutalidade policial, abuso de poder e violência urbana.

Mas certamente muitos tiveram o primeiro contato com essa música através de seu incrível clipe. Dirigido por Hiro Murai, o vídeo foi disponibilizado durante a performance de Gambino no Saturday Night Live (imaginem a audiência). 24 horas depois, a polêmica adaptação audiovisual, lotada de grandes referências, já somava mais de 12 milhões de visualizações no Youtube. A canção certamente ganhou a visibilidade que merecia (e continua merecendo).

 

2 – “Dynamite” (BTS)

Já percebeu que é possível estudar a história da música pop através das paradas da Billboard, né? Pois bem: em 2020, o BTS fez história ao estrear no top do Hot 100 com a incrível “Dynamite“.

Foi o primeiro nome da música sul-coreana a conseguir esse feito, o que apenas comprova o potencial do movimento K-Pop. Apesar de não ter se comportado como um “viral”, a canção se espalhou pelo mundo inteiro, em todas as plataformas. A não ser que você que esteja passando o isolamento social dentro de uma caverna sem internet, é certo que você conhece “Dynamite” ou, pelo menos, seu potencial explosivo (entenderam a piada?).

A última música local a conseguir ir para o topo da parada foi “Sukiyaki” (Kyu Sakamoto) em 1963. Agora, em um cenário pop completamente diferente, precisaremos acompanhar os próximos capítulos. Afinal, ao que tudo indica, logo mais teremos um novo K-Pop repetindo essa conquista.

 

1 – “My Heart Will Go On” (Celine Dion)

Lembra do que falamos sobre filmes? Aqui temos o grande ápice do potencial da parceria música-cinema: “My Heart Will Go On“, brilhantemente interpretada por Celine Dion em 1997 para o filme “Titanic“.

Parte disso se deu, é claro, ao fato de que o filme se tornou a maior bilheteria da história, o que fez com que muitas pessoas fossem apresentadas ao talento de Celine dentro das salas de cinema. Até hoje é impossível não associar qualquer cena do filme a essa emblemática canção. O impacto foi enorme e só convenceu produtores culturais do mundo inteiro de que músicas promocionais são uma fórmula de sucesso para a divulgação obras cinematográficas.

 

Menções honrosas:

“Candle In The Wind 1997 / Something About The Way You Look Tonight” (Elton John)

 

“Born This Way” (Lady Gaga)

 

“Thank U, Next” (Ariana Grande)