Nirvana
Foto: Wikimedia Commons
 

É praticamente inevitável que o assunto Nirvana apareça durante uma entrevista com Dave Grohl, ex-baterista da banda e atual líder do Foo Fighters.

Em conversa com o jornal The Big Issue, Grohl aproveitou para relembrar um pouco de sua relação musical com seus companheiros da banda, Kurt Cobain e Krist Novoselic, e citou a “disfunção” que ele sentia que existia no Nirvana e que é algo que ele não percebe nos Foos (via NME).

Dave Grohl e o Nirvana

O músico destacou que embora musicalmente o trio fosse um “casamento feito no céu”, também existiam momentos estranhos entre eles.

É claro que nos amávamos. Nós éramos amigos. Mas, você sabe, havia uma disfunção no Nirvana que uma banda como o Foo Fighters não tem.

Você também tem que perceber, desde o momento em que entrei para o Nirvana até o momento em que ele acabou, foram apenas cerca de quatro anos. Não foi um longo período de tempo. Eu fiquei próximo de Kurt, como sou próximo de Taylor Hawkins? Não.

Dave ainda revelou que quando entrou na banda ele estava morando com Krist e sua esposa, mas isso durou apenas um mês até que eles “expulsaram” o baterista de lá.

Sempre tivemos esse tipo de conexão amorosa, e isso ficou ainda mais forte depois da morte de Kurt. Quando vejo Krist agora, eu o abraço como uma família. Mas naquela época éramos jovens e o mundo era tão estranho.

O líder do Foo Fighters fez questão de destacar que “aquela disfunção emocional” do Nirvana conseguia ser aliviada quando eles estavam tocando.

Se a música não tivesse funcionado, não estaríamos lá juntos. Eu realmente acredito que há algumas pessoas com quem você só pode se comunicar musicalmente. E às vezes é uma comunicação ainda maior e mais profunda.

Há pessoas com quem eu posso me sentir um pouco estranho ao conversar, mas uma vez que colocamos os instrumentos, é como se elas fossem o amor da minha vida.

Foo Fighters

Dave e sua banda estão se preparando para lançar o seu décimo álbum de estúdio Medicine At Midnight nesta sexta-feira, 5 de Janeiro.

Enquanto o álbum não é disponibilizado aproveite para ouvir os singles já lançados: “Shame Shame”, “No Son Of Mine”, dedicada ao fundador do Motörhead Lemmy Kilmister e “Waiting On A War”, que ganhou um clipe cinematográfico.

 
 
Compartilhar