Spotify
Foto Stock via Shutterstock
 

O Spotify virou pauta de várias discussões sobre privacidade e tecnologia na internet nesta quinta-feira (28).

De acordo com a imprensa americana (via Pitchfork), a empresa foi contemplada com a patente de uma tecnologia que pode monitorar a fala de seus usuários para coletar dados. Teoricamente, o serviço tem como objetivo ajudar o Spotify a criar melhores recomendações musicais aos seus clientes.

Essa função, se aplicada, vai usar a “entonação, ênfase, ritmo e sotaques” para montar um perfil do usuário. Além disso, os dados também oferecem aspectos e características como estado emocional, sexo, idade e ambiente, tudo pela voz.

O documento da patente descreve a funcionalidade dessa tecnologia:

É necessária uma abordagem totalmente diferente para coletar atributos de gosto de um usuário, particularmente uma que esteja enraizada na tecnologia. [Isso serve] para que a atividade humana acima descrita (por exemplo, exigir que um usuário forneça seus dados) seja pelo menos parcialmente eliminada e realizada de forma mais eficiente.

Ainda não se sabe quando ou se o Spotify irá implementar essa novidade. Em declaração à Pitchfork, a empresa disse que entra com “pedidos de patentes para centenas de invenções” todos os anos. A plataforma completa: “Nossa ambição é criar a melhor experiência de áudio que existe, mas não temos novidades para compartilhar no momento.”

Essa possível tecnologia te assusta?

 
 
Compartilhar