Vinícius Cantuária, Fábio Jr. e Fiuk
   

Demorei muito
Pra te encontrar
Agora eu quero só você

Você pode conhecer essa música na voz de vários intérpretes: Fiuk, Fábio Jr., Tim Maia… Mas não adianta negar! Nós sabemos que você começou o texto cantarolando a icônica melodia de “Só Você“. Afinal, todo mundo conhece (e, mesmo que secretamente, ama) essa música, uma das mais icônicas obras do cancioneiro romântico nacional.

Através de letra chiclete sobre a satisfação de ter encontrado o amor de sua vida, o eu lírico desagua em versos onde se declara para a tal pessoa. Potencializada por uma melodia cativante, a música ganhou fama e diversas releituras desde 1984, ano em que veio ao mundo através de seu compositor, o músico Vinícius Cantuária.

LEIA TAMBÉM: “The Game Of Love”, de Santana, tem um pouco de Michelle Branch, um pouco de New Radicals e mais

Separamos algumas curiosidades e observações interessantes sobre esse hit. Confira abaixo (logo após o vídeo):

 

Vinícius Cantuária, o ícone

O cantor e compositor amazonense Vinícius Cantuária não é qualquer um, não. Além da grande mente por trás de “Só Você”, ele tem em seu currículo trabalhos com nomes importantes da nossa música como Marcos Valle, Antonio Adolfo e João Donato. Isso tudo além de sua participado como baterista da formação inicial da cultuada banda de rock progressivo O Terço (ativa até hoje).

A primeira gravação do hit do qual falamos aqui hoje veio ao público em 1984, como parte de seu terceiro álbum de estúdio, chamado Sutis Diferenças. Definitivamente seu maior sucesso comercial, o disco também conta com participações de Chico Buarque (na faixa “Não É Bem Assim”) e Lulu Santos (em “Cheio de Amor”).

Com Chico, a parceria se repetiu novamente na faixa “Ludo Real”, lançada em 1987.

 

O que Michael Jackson acharia disso?

O clipe da música foi divulgado também em 1984 e conta com a direção de J. Marreco, responsável pela direção de filme como “A Carne” e “Núpcias Vermelhas”. Raro na internet, o clipe ocasionalmente vem à tona através de postagens de fãs.

Talvez o material não tenha envelhecido tão bem, já que nos apresenta a um protagonista “stalker” que segue sua pretendente em vários lugares. Isso inclui vigiá-la em sua casa pela janela com o auxílio de um binóculo. Mas, ao que tudo indica, (SPOILER) faz tudo parte de uma encenação.

Algumas cenas sombrias, que mostram Vinícius cantando em plena noite com neblina, podem gerar associações com o emblemático vídeo de “Thriller“, de Michael Jackson (que, vale frisar, foi lançado no mesmo ano).

 

Bons tempos

O que rolava na época nas rádios brasileiras? Bom, além do crescimento da cena Rock através de nomes como Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso e Titãs, a MPB radiofônica contemplava canções que puxavam para uma estética disco, com forte influência do movimento que acontecia no exterior.

No mesmo ano, por exemplo, Djavan lançou o disco Lilás, cuja faixa título virou um grande sucesso. Enquanto isso, a cantora Marina Lima, em evidentes flertes com o new wave e o synthpop, lançou seu maior sucesso Fullgás.

 

Fábio Jr.

Passados mais de 10 anos do lançamento original, o cantor Fábio Jr. resgatou “Só Você” para ser a faixa principal de um álbum ao vivo de mesmo nome, lançado em 1997.

O single impulsionou as vendas do disco, que se tornou seu maior sucesso comercial até hoje. O lançamento, que rendeu a Fábio um disco triplo de platina, também conta com versões ao vivo de sucessos como “Alma Gêmea” e “Ai Que Saudade D’Ocê“.

 

Fiuk e a banda Hori

Mas é claro que rolaria uma certa colocação, diante da estética de suas versões mais populares, de que “Só Você” é uma “música de velho”. Para alguns jovens dos anos 2000, criados musicalmente a partir de uma pulsante cena pop rock, apenas a bela letra não bastaria para torná-la “palatável”.

Tivemos uma bem sucedida versão rock da música em 2010, graças à banda Hori, comandada pelo atual BBB Fiuk. A versão entrou para o relançamento do único disco da banda, sendo uma das faixas adicionais. Sua divulgação foi impulsionada pela inserção da releitura na trilha sonora de uma das temporadas da novela Malhação (da qual Fiuk foi protagonista).

 

Outras versões

É claro que Fábio e, posteriormente, Fiuk conseguiram espalhar a mensagem romântica de “Só Você” para novas gerações. Mas eles não foram os únicos artistas relevantes a ficarem impactados com a composição.

No mesmo ano em que Fábio Jr. disponibilizou sua versão, em 1997, Tim Maia usou a canção para dar nome ao seu disco Só Você (Para Ouvir e Dançar). O disco, pasmem, dançante também conta com versões para músicas de nomes como Tom Jobim, Durval Ferreira, Silvio César e Gonzaguinha.

Quanto à estética rock, Fiuk e a banda Hori não foram os primeiros a adicionar mais peso à música. Ao longo dos anos 2000, as bandas de pop rock Seu Cuca e Dibob disponibilizaram interessantes releituras.

A ampla quantidade de artistas que homenagearam esse grande sucesso inclui também Fagner e Frejat. De pelo menos de uma das versões a gente tem certeza que você gosta!

 

Até tu, Ariana Grande?

Em 2018, “Só Você” voltou a ser pauta por causa de uma estranha coincidência. Na época, a cantora pop Ariana Grande preparava o lançamento de seu quarto disco de estúdio Sweetener. No entanto, ao divulgar o single prévio “No Tears Left To Cry“, alguns fãs brasileiros notaram semelhanças estruturais com a composição de Vinícius.

Além de estarem no mesmo tom (dó maior) e terem andamentos semelhantes, ambas as canções possuem semelhanças melódicas nas linhas de voz. O assunto ganhou espaço até em programas televisivos. Apesar de a cantora possivelmente não ter buscado inspiração na música brasileira para dar vida a seu então novo hit, precisamos admitir que é fácil relacionar as músicas.

Bom, boa sorte agora para não cantarolar uma quando a outra estiver tocando!