Trailer de
Reprodução
 

A Disney fechou o ano de 2020 com o lançamento de Soul, mais um daqueles filmes de animação que aparentemente são infantis, mas que também possuem boas pitadas de conteúdo para os adultos.

Por essa perspectiva, na verdade, este talvez seja o mais “adulto” dos últimos filmes da Pixar, guardando algumas semelhanças com Divertida Mente, mas com uma identidade própria nesse universo que também foi criado por Pete Docter.

Para não perder o hábito, Soul está recheado de segredos que fazem referência a outros filmes do estúdio. Também são vários momentos que mostram como este é um filme com mensagens mais reflexivas voltadas ao público adulto, levantando questões bastante complexas e sem resposta.

Confira alguns desses detalhes de Soul, veja se pegou alguma das referências ou se caiu em alguma dessas reflexões enquanto assistia (a partir daqui, o texto contém spoilers).

Easter Eggs

Como já é muito comum nos filmes da Pixar, são vários os easter eggs espalhados ao longo do filme. Em uma cena específica, quando Joe e 22 estão procurando por algo que possa ser a faísca que faça com que ela queira nascer, aparecem várias referências a outros filmes do estúdio.

O balão de Up, o carro da Planet Pizza e o número A113 (que estão em todos os filmes da Pixar) e a lamparina que faz parte da logo da empresa são alguns exemplos.

Foto: Pixar/Divulgação
Foto: Pixar/Divulgação
Foto: Pixar/Divulgação

Também no Grande Antes, aparece a famosa estátua de Walt Disney de mãos dadas com o Mickey. E, no abrigo da 22, dá para ver a bola da Pixar entre os pertences da alma.

Foto: Pixar/Divulgação
Foto: Pixar/Divulgação

Já em Nova York, no metrô, é possível ver o número 2319, que é o mesmo usado em um código de Monstros S.A. Dentro do vagão, há um banner de uma empresa chamada Brang, a mesma que levou o pai de Riley, em Divertida Mente, a se mudar para São Francisco.

Foto: Pixar/Divulgação

Em outra cena pelas ruas de NY, há um cartaz que cita Porto Rosso. Esse é o pôster de Luca, o próximo filme da Pixar.

Foto: Pixar/Divulgação

Finais alternativos

De acordo com o diretor Pete Docter, chegaram a ser feitos os storyboards de um final com Joe e 22 se encontrando em Nova York, ela tendo virado uma estudante e Joe a reconhecendo.

Outra versão foi com ela indo parar na Índia e virando uma criança por lá.

No fim, esse final ficou aberto para que o público imaginasse como seria a trajetória mais adequada.

(…) eu sinto que, se o público se apaixona por esses personagens, prefiro que ele tenha suas próprias respostas sobre onde eles terminaram do que tentar oferecer todas as respostas”, disse Docter.

“Para mim, é muito bom quando você pode criar essas coisas que têm vida própria

E ainda tem uma cena pós-créditos, com Terry mandando as pessoas irem para casa e viverem suas vidas. Até aí existe um significado atrelado ao roteiro, pois o filme quer que nós, espectadores, sigamos o exemplo de Joe e 22, correndo atrás do que há de melhor esperando por nós lá fora.

Soul é para crianças ou adultos?

Mesmo sendo uma animação e considerando o fato de a Pixar tradicionalmente fazer filmes para crianças, Soul desperta discussões que são bastante profundas mesmo para os adultos.

Apesar de propor que existe, sim, uma faísca que desperta uma paixão e faz a vida valer a pena, não é isso que deve definir a nossa existência como um todo. Esse “gatilho” é apenas mais um aspecto da magia de estar vivo, e não a sua essência.

Esse ponto do roteiro certamente não vai ser absorvido com muita intensidade pelo público infantil, mas com certeza é um soco no estômago dos adultos que lutam diariamente para conciliar as cobranças da sociedade e o aproveitamento de momentos simples.

Foto: Pixar/Divulgação

No caso do protagonista, Joe passou tanto tempo preocupado em tocar em uma banda de jazz e realizar seu sonho que, quando finalmente conseguiu, percebeu que não havia ninguém para celebrar com ele. A faísca se tornou maior que todo o resto e, quando o sonho finalmente se realizou, acabou perdendo o significado.

No fim das contas, 22 aproveitou muito mais a vida quando estava vivendo no corpo de Joe do que ele próprio.

É com 22, aliás, que Joe resume em uma cena tudo o que o filme quis dizer. Quando ele dá o distintivo para que ela consiga nascer, ele não pode ir com ela até o final, mas foi até onde podia.

E é isso: vá até onde der e aproveite a jornada!

Soul está disponível no serviço de streaming Disney+:

 
 
Compartilhar