John Lennon explicando frase sobre Jesus
Reprodução/YouTube
 

Em 1966, John Lennon disse o que foi talvez a sua frase mais polêmica de todas: “os Beatles são mais populares que Jesus Cristo”.

A frase inicialmente passou despercebida mas, alguns meses depois, foi publicada em uma revista nos Estados Unidos e causou todo um alvoroço por muitos terem interpretado que Lennon estaria se comparando a uma figura religiosa e até se colocando acima desta.

Isto o obrigou a responder diversas perguntas sobre o tema e a mais clara de todas foi durante uma coletiva de imprensa. Ele explicou:

Eu só estava falando com uma amiga e usei a palavra Beatles como uma coisa remota, não como o que eu penso. Foi uma coisa meio, sabe, ‘Aqueles são os Beatles’, como as pessoas costumam dizer. Eu só disse que eles estavam tendo mais influência nos jovens e nas coisas do que qualquer outra coisa, inclusive Jesus. Mas eu disse isso dessa forma, que é a forma errada.

[…]

Me apontaram isso em referência à Inglaterra, de que nós significávamos mais para os jovens do que Jesus. Mas eu não estou dizendo que nós somos melhores ou maiores ou nos comparando com Jesus Cristo como pessoa ou Deus como uma coisa, ou o que quer que seja. Eu só disse o que eu disse e foi errado, ou foi levado da maneira errada, e agora é tudo isso…

Como você deve saber, muitos vieram a associar o assassinato de Lennon com uma “punição divina” por essa frase, mesmo que este tenha acontecido quase 15 anos depois da declaração original.

De fato, há diversos relatos que mostram que Mark David Chapman teria se irritado profundamente com essa declaração depois de se converter ao cristianismo; no entanto, seus relatos sempre foram um pouco desconexos e ele já citou inúmeros outros motivos para cometer o crime, desde um incômodo com a grandeza (financeira e de popularidade) do ex-Beatle que cantava sobre a simplicidade da vida até uma “missão” de promover o livro O Apanhador no Campo de Centeio.

De toda forma, você pode conferir um vídeo (com legendas em espanhol) dessas declarações de Lennon logo abaixo.

John Lennon e os Beatles “maiores que Jesus”

   
 
Compartilhar