Taylor Hawkins
Crédito: Reprodução / YouTube
 

Os integrantes do Foo Fighters não negam a felicidade de ter visto Donald Trump deixar o cargo de presidente dos Estados Unidos na última quarta-feira (20 de Janeiro).

Após realizarem uma performance emocionante de “Times Like These” no Celebrating America, programa que fez parte da cerimônia de posse de Joe Biden, o baterista Taylor Hawkins e o baixista Nate Mendel fizeram algumas declarações sobre o ex-mandatário dos EUA à coluna Wired do Daily Star (via NME).

Hawkins criticou Donald Trump e demonstrou toda sua satisfação em ter ajudado na “demissão” do ex-presidente:

Trump é um pedaço de merda, não tenho medo de dizer isso. Ele dividiu os Estados Unidos mais do que nunca. Estou feliz de ter contribuído para a demissão daquele palhaço.

Já o baixista comentou que a vitória de Biden o ajudou a não se sentir mais “humilhado” por ser americano e celebrou a relação do atual presidente com a arte:

Posso ver pontos positivos agora. Se nada acontecer, o simples fato de não ter a enxurrada frequente de humilhação enquanto um cidadão americano já será muito bom.

Tivemos vários idiotas no poder Executivo por quatro anos, muitos danos aconteceram — poderia ter sido pior. Tendo um líder competente, penso que estaremos em um lugar melhor agora. E Biden tem um pool de encontros maior do que Trump tinha em termos de artes.

Foo Fighters

A banda está se preparando para lançar Medicine At Midnight, seu décimo álbum de estúdio, no dia 5 de Fevereiro.

Até o momento, o grupo já disponibilizou para os fãs as faixas “Shame Shame”, “No Son Of Mine”, dedicada ao fundador do Motörhead Lemmy Kilmister e “Waiting On A War”, que ganhou um clipe cinematográfico.

Ouça o novo álbum do Melim!