New Radicals em
Reprodução/YouTube
 

Recentemente soubemos que o New Radicals fará uma improvável reunião para tocar durante a posse de Joe Biden como presidente dos EUA.

O grupo liderado por Gregg Alexander é um dos mais marcantes dos anos 90 em especial por conta de seu hit “You Get What You Give”, que representa bem demais a mensagem da banda de rebelião contra a indústria da música e a mídia que a acompanha. Infelizmente, eles próprios acabaram sendo vítimas de tudo que criticavam.

Isso porque o sucesso do single fez com que Alexander e companhia entrassem em uma rotina maluca para promover o disco Maybe You’ve Been Brainwashed Too (1998), e em Julho de 1999 o preço acabou sendo grande demais para Gregg. Ele explicou que “a fadiga de viajar e dormir três horas em um hotel diferente toda noite para ficar ‘de rolê e de conversa fiada’ com gente de rádio e corporações definitivamente não é pra mim”.

Críticas políticas, sociais e à indústria da música

Apesar do status de one-hit wonder, Gregg conseguiu passar sua mensagem de forma bem clara e, na verdade, prática. Todo o disco veio recheado de recados fortes não apenas como os citados acima, contra a indústria da música, mas também contra as grandes corporações dos EUA.

O exemplo mais claro foi justamente “You Get What You Give”, que por trás de uma batida Rock e Soul que remetia aos anos 70 trazia trechos como:

Toda noite nós destruímos uma Mercedes-Benz / Primeiro a gente foge, depois a gente ri até chorar

A mentira do seguro de saúde caro / FDA [uma espécie de ANVISA dos EUA] comprada por grandes banqueiros / Computador falsificado trava o jantar / Clonando enquanto estão multiplicando / Fotos de moda com Beck e Hanson / Courtney Love e Marilyn Manson / Vocês são todos falsos, fujam para suas mansões / Venham aqui, iremos chutar seus traseiros

Essa segunda sequência, aliás, foi a que trouxe grande controvérsia ao grupo. Não era como se eles não tivessem sido taxados por todo lado de “esquerdistas” (em uma época onde o termo não era tão popularizado quanto hoje), mas falar mal de celebridades realmente parecia ser algo que atraía as manchetes.

E a estratégia do New Radicals era justamente essa: segundo o próprio vocalista, esse trecho era um “teste” à mídia, para observar se eles seriam capazes de ignorar as citações às celebridades e focar na mensagem real da canção.

Reação dos músicos citados

Como era de se esperar, o foco foi totalmente para os xingamentos aos músicos e é bem capaz que isso tenha colaborado para que a banda chegasse ao fim de maneira tão precoce. E não necessariamente de maneira negativa, já que Alexander afirmou quando anunciou o fim do grupo que havia “conquistado tudo que queria” com o disco de estreia.

As celebridades em questão, aliás, levaram na boa. A única que nunca se pronunciou sobre isso foi Courtney Love, mas Marilyn Manson com seu jeitão característico afirmou que iria “quebrar o crânio [de Alexander] no meio” se o encontrasse não por ter falado que “chutaria seu traseiro” mas sim por “ter sido usado na mesma frase que Courtney Love”.

Beck afirmou que encontrou com Gregg uma vez casualmente no mercado e recebeu um pedido de desculpas, com o vocalista garantindo que não era nada pessoal, algo que Beck aceitou na boa.

Com os irmãos Hanson, por outro lado, a história tem acontecimentos ainda mais interessantes. Anos depois, Alexander chegou a participar de uma gravação do grupo e o baterista Zac Hanson afirmou que ele era “meio que um personagem, mas um cara legal”.

Reunião do New Radicals

Felizmente, as críticas políticas e sociais não passaram despercebidas por todo mundo e parece que até hoje Gregg Alexander ainda tem uma posição bastante parecida com a de 1998. Justamente por isso, essa reunião vai acontecer em um momento tão importante para a história dos EUA.

A canção foi marcante na campanha de Biden porque foi utilizada como música de entrada para Doug Emhoff, marido da vice-presidente Kamala Harris, nos comícios eleitorais de 2020; mais ainda, o filho do próximo presidente norte-americano, Beau Biden, tinha a faixa como uma de suas favoritas enquanto batalhava contra um câncer que acabou o levando desse mundo em 2015.

Você pode ver a declaração de Gregg Alexander sobre o retorno do New Radicals, bem como mais informações sobre essa performance de reunião, por aqui. Abaixo, aproveite para relembrar esse clássico dos anos 90!

Em tempo, quem fazia parte do grupo oficialmente antes do seu fim era Gregg e a atriz Danielle Brisebois (All In The Family), acompanhados de músicos de turnê.

Ainda não se sabe se é ela quem subirá ao palco com Alexander para a performance dessa semana, mas sabemos que após o fim do grupo, ambos escreveram canções para outros artistas.

Gregg ganhou um Grammy pela composição de “The Game Of Love”, lançada em 2002 por Carlos Santana e Michelle Branch.

Em 2015, a dupla do New Radicals foi indicada ao Oscar de Melhor Canção Original pela composição de “Lost Stars”, trilha do filme Mesmo Se Nada Der Certo.

A faixa foi interpretada por Adam Levine, vocalista do Maroon 5, e já foi regravada por nomes como Jungkook, do BTS.

Ao final da premiação, quem levou a estatueta pra casa foi “Glory”, da Trilha Sonora de Selma.

Por Tony Aiex e Felipe Ernani