Chico César
Foto por José de Holanda

O encontro entre a música e a política não é de hoje, mas parece que nos últimos anos a música politizada tem enfrentado mais resistência. Felizmente, no que depender de Chico César, isso não vai impedir a continuação da produção.

Em uma publicação no seu Instagram, o músico brasileiro recebeu um comentário que agradecia por suas canções de 2020 e pedia “carinhosamente” para “evitar as de cunho político-ideológico” pois ele é “muito maior que eles todos”.

Em resposta, Chico deu uma verdadeira aula:

Por favor, todas as minhas canções são de cunho político-ideológico!! Não me peça um absurdo desse, não me peça para silenciar, não me peça pra morrer calado. Não é por ‘eles’. É por mim, meu espírito pede isso. E está no comando. Respeite, ou saia. Não veja, não escute. Não tente controlar o vento. Não pense que a fúria da luta contra as opressões pode ser controlada. Eu sou parte dessa fúria. Não sou seu entretenimento, sou o fio da espada da história feito música no pescoço dos fascistas. E dos neutros. Não conte comigo para niná-lo. Não vim botar você pra dormir, aqui estou para acordar os dormentes.

Sensacional! Você pode ver os dois comentários na íntegra abaixo ou clicando aqui.

Chico César e uma aula de política na música

 
Compartilhar