George Harrison
Foto via Wikimedia Commons

Todo mundo conhece a história do triste assassinato de John Lennon, mas muita gente se esquece que George Harrison quase teve um fim parecido.

O lendário ex-Beatle sofreu uma tentativa de assassinato em 30 de Dezembro de 1999 dentro da sua própria casa, quando um homem de 33 anos chamado Michael Abram invadiu sua propriedade jogando uma estátua na janela e entrando armado com uma faca.

George partiu para cima de Abram em uma tentativa de se defender e desarmar o criminoso, mas isso não deu muito certo e o músico acabou sendo esfaqueado repetidamente, segundo a UCR, causando problemas no pulmão de Harrison.

Eventualmente, a esposa de George, Olivia, conseguiu atingir o invasor com um abajur e o fez derrubar a faca; ele tentou estrangulá-la mas ela escapou e a polícia acabou chegando a tempo de prender Michael. Os oficiais explicaram a intenção do crime:

[Ele] acreditava que os Beatles eram bruxos que voavam por aí em vassouras. Subsequentemente, o George Harrison o possuía e ele havia sido mandado em uma missão por Deus para matá-lo. Ele via George como um feiticeiro e o diabo.

A história é de fato bem parecida com a da morte de Lennon, mas felizmente o final não foi tão ruim. Abram não foi condenado judicialmente pois o laudo médico indicou insanidade e, portanto, ele foi internado em uma instituição psiquiátrica de onde saiu em 2002, depois de ter inclusive pedido desculpas ao ex-Beatle.

LEIA TAMBÉM: O dia em que Josh Homme ficou sem reação ao tocar guitarra de George Harrison

 
Compartilhar