Mariah Carey Natal
Foto: Divulgação
 

O Natal já é amanhã e certamente tem muita gente por aí que ainda não sabe o que quer ganhar. Bom, não fique preocupado, pois tem uma pessoa que já sabe: a cantora Mariah Carey.

Isso porque somos lembrados todo ano da existência de “All I Want For Christmas Is You“, canção originalmente lançada em 1994 e que aparenta conquistar cada vez mais popularidade. Traduzindo a estética clássica das festividades natalinas para o mundo do pop, a canção se tornou um hit rapidamente e se estende como tal até hoje, sendo o maior sucesso comercial da cantora.

Venha conferir algumas curiosidades sobre esse sucesso, o verdadeiro último grande hit natalino. Ah, e é claro: Feliz Natal para todos os leitores do TMDQA! e seus parentes e amigos!

 

Quebrando a tradição

Durante gerações (inclusive até hoje), a cultura natalina esteve envolta por sucessos como “Jingle Bells“, “Santa Claus Is Coming to Town” e “Silent Night“. São hits inquestionáveis que foram regravados incontáveis vezes ao longo dos anos. Essas canções ajudaram a consolidar uma tradição natalina que raramente é questionada. Mas eis que chega Mariah Carey.

Ainda com relativo pouco tempo de carreira, a cantora lançou seu primeiro disco natalino Merry Christmas. No entanto, ao invés de fazer o que já era esperado de discos com essa temática e regravar canções de domínio público, Carey tinha o plano de gravar músicas originais. Sobre isso, Gary Trust, da Billboard, explica:

É muito seguro lançar uma cover de uma música de Natal porque pessoas amam padrões, particularmente porque existem memórias envolvidas. É uma tradição familiar. Qualquer geração conhece ‘Jingle Bells’ ou ‘Have Yourself a Merry Little Christmas’. Se você lança uma novidade, não vai ter o mesmo peso emocional. Tem um risco envolvido.

 

 

Tecladinho mágico

No curta/documentário “Mariah Carey is Christmas: The Story of ‘All I Want For Christmas Is You’“, da Amazon Music, a cantora relembrou o processo de composição. Surgiu de forma natural, tal como algumas das mais impactantes melodias da história.

O que fiz foi dizer que queria tentar entrar no espírito natalino. Eu estava morando em uma casa no interior de Nova Iorque. Coloquei ‘It’s a Wonderful Life’ no andar de baixo, fui para uma salinha pequena que tinha um teclado e comecei a tocar. Eu sou péssima no piano, mas às vezes pode sair um acidente feliz.

 

Walter Afanasieff

Para dar vida à canção, Mariah contou com a parceria de Walter Afanasieff na coprodução e composição.

O brasileiro nascido em São Paulo colaborou com a cantora em alguns outros de seus sucessos, incluindo “One Sweet Day” e “Hero“. Além disso, o músico já trabalhou como arranjador de Whitney Houston e ainda ganhou um Grammy, em 1999, por conta da produção de “My Heart Will Go On“, de Celine Dion.

Em 2014, em entrevista à ASCAP, o produtor deu seu palpite sobre o que torna a canção de Carey tão especial: “manter a tradição e a inserir uma melodia bem simples fizeram com que a canção se tornasse facilmente palatável para todo o mundo ter a sensação de que a música não sai da cabeça”.

 

De música de Natal a música de amor (ou vice-versa)

Já quanto à letra, Mariah teve um grande conjunto de inspirações, tentando trazer elementos que a remetessem ao espírito natalino e sua mágica.

Ao mesmo tempo, intencionada a gravar um novo clássico, a cantora teve a visão de tentar deixar a música liricamente palatável para o atual consumidor de música pop. O grande hit, assim, se camuflou em uma bela canção de amor, mas de forma sutil e mantendo toda a atmosfera da época. No mesmo documentário, ela explicou:

Eu sempre quis que essa música remetesse a um ‘país de maravilhas festivas no inverso’. Então, conforme escrevia, fiz uma lista de coisas que me lembrava o Natal desde a infância e fiz a canção falar sobre um amor perdido há tempos. Essa parte é algo que eu vou lembrar para sempre, de estar naquele quarto silencioso transformando uma música de Natal em uma música de amor e depois de volta em uma música de Natal, fazendo disso uma coisa só.

 

Nasceu atemporal

A nostalgia de “All I Want For Christmas Is You” é um de seus elementos mais fortes. Remete aos hits dos anos 50 e 60 feitos pela Motown, mesmo sendo lançado nos anos 90.

O “plot twist” da canção é quando a lenta e melódica introdução se transforma em uma festiva obra musical com harmonias mágicas. Você pode ser até o Grinch, mas ouvir essa canção e não captar sua proposta de felicidade é quase impossível. Mesmo os que tiveram o primeiro contato com a canção lá em 1994 perceberam que ela já nasceu como um clássico.

 

Impacto

Acredita que esse grande sucesso, na época de lançamento, sequer entrou na cultuada parada musical Hot 100, da Billboard? Acontece que ela não poderia participar porque, originalmente, não foi lançada comercialmente como single em formato físico. Com uma posterior mudança nas regras de inclusão, em 1998, a música alcançou a 83ª posição da parada.

Na semana do Natal de 2019, no entanto, a canção finalmente chegou ao topo, por conta da adição do streaming e de seu reconhecimento imediato quando o assunto é espírito natalino. Com isso, Mariah quebrou o recorde de “Macarena” (do Los del Río) e se tornou a escalada mais lenta para a primeira colocação na história da Billboard. Há pelo menos 60 anos uma música natalina não tem um impacto tão significante.

Isso sem falar na Holiday 100, uma outra parada que basicamente é dominada por “All I Want For Christmas Is You”.

 

Virou livro e filme em animação

O currículo dessa música é invejável! Além de seu sucesso e todo o legado consequente, “All I Want For Christmas Is You” rendeu também livro infantil e filme em animação!

Ambos evocam o espírito natalino e contam com histórias centralizadas no desejo de uma jovem menina por um cachorrinho. O filme, disponível no Amazon Prime, conta com narração da própria Mariah.

 

Covers

A popularidade da música deu origem a diversas releituras ao longo dos anos. Mesmo não sendo uma canção tão antiga (26 anos de idade, mais especificamente), “All I Want For Christmas Is You” já foi regravada por uma quantidade enorme de artistas.

Se encaixam nesse time de intérpretes artistas como Fifth Harmony, Justin Bieber, Michael Bublé e Dolly Parton. Como versão “fora da curva”, podemos destacar a gravação Emo do My Chemical Romance.