Antonio Carlos Bigonha
Foto por Aurélio Emanuel Pires Pereira
 

O ano de 2020 tratou a gente muito mal, mas temos a oportunidade de alguns antídotos na música.

Um deles é o quarto disco de estúdio do compositor e pianista Antonio Carlos Bigonha, Saudades de Amanhã, sendo o segundo trabalho com arranjos e orquestrações de ninguém mais, ninguém menos do que Dori Caymmi.

Ao falar sobre a parceria, Bigonha afirmou:

Somos amigos há quase quinze anos, mas somente agora ficamos à vontade para escrever música juntos. E espero que venham outras canções.

Novo Disco de Antonio Carlos Bigonha

Em nove faixas, o músico faz um passeio por sonoridades que remetem ao universo de Tom Jobim e não tem medo de escancarar influências de nomes como Egberto Gismonti, Villa-Lobos, Michel Legrand, Henry Mancini e Ennio Morricone.

Além de Dori Caymmi ao violão, o disco tem participações dos músicos Jorge Helder (contrabaixo), Jurim Moreira (bateria) e da Orquestra de Cordas de São Petersburgo, Rússia.

Lançado no último dia 17 de Dezembro, o álbum tem distribuição da Tratore e Caymmi teve a ideia de orquestrar alguns temas de Antonio Carlos Bigonha após ouvir o disco Anathema, começando por “Lullaby” e “Paisagem da Memória”.

Entre idas e vindas, surgiu um tema inédito chamado “Perto do Tom”, escrito ao lado de Clodo Ferreira, e o que fica visível em Saudades de Amanhã é justamente a proximidade com Tom Jobim, já que Dori foi amigo, colaborador e arranjador de um dos maiores nomes da música mundial.

As bases para o álbum foram gravadas por Dori, Jorge e Jurim no Rio de Janeiro, as cordas na Rússia e, pela primeira vez, Bigonha gravou as suas partes em casa, em Brasília, por conta da pandemia do novo Coronavírus.

Saudades de Amanhã já está disponível em todas as plataformas de streaming e pode ser ouvido logo abaixo no Spotify e no YouTube.

 
Compartilhar