Fiona Apple em Seattle, 2012
Foto de Fiona Appla via Shutterstock
 

Fiona Apple teria tudo para estar feliz com o reconhecimento da Academia de Música por seu mais recente trabalho, Fetch the Bolt Cutters, mas as repetidas acusações e más condutas da instituição deixaram a cantora sem nenhuma vontade de celebrar suas três indicações.

Nomeada para Melhor Álbum Alternativo e também para Melhor Canção de Rock e Melhor Performance de Rock por “Shameika”, Apple contou em uma entrevista recente sobre como pensou em comemorar o feito mas desistiu ao se lembrar que o produtor Dr. Luke, acusado de abuso por Kesha, foi indicado para Gravação do Ano por “Say So”, de Doja Cat.

Fiona criticou a hipocrisia da instituição, que convidou Kesha para cantar “Praying” — música que especula-se ter sido escrita sobre os abusos sofridos por ela — em 2018 e agora tentou discretamente nomeá-lo; na canção, ele aparece sob o pseudônimo Tyson Trax.

Melhor Performance de Rock e Grammys 2021

Tudo isso foi falado pela vocalista em uma conversa com o The Guardian (via Rolling Stone), e por lá ela também elaborou sobre como quase caiu na armadilha da premiação que nomeou apenas mulheres para a categoria de Melhor Performance de Rock.

Ela conta que chegou a fazer uma camiseta com todos os nomes das mulheres nomeadas para o prêmio e tirou uma foto para mandar a um site de fãs, mas acabou desistindo:

Eu joguei fora. Eu senti que é exatamente isso que eles queriam que eu fizesse: ‘Está melhor agora! Eu fui indicada! E são só mulheres esse ano e os Grammys são ótimos!’ Eu continuo voltando ao fato deles terem colocado a Kesha no palco tipo, ‘Nós acreditamos em você’ — e eu acredito nela — e aí dois anos depois, a porra do Tyson Trax. Não querendo voltar nisso, mas é uma palhaçada. O sentimento de querer celebrar com essas mulheres foi genuíno. Mas eu deveria ter esse sentimento de qualquer forma. Eu não se se alguém que foi indicado pode evitar ter o pensamento: ‘O que eu faria se vencesse?’ Minha visão é que eu só iria subir ali com uma marreta e eu não diria nada, eu pegaria o Grammy e o destruiria em pedaços suficientes para compartilhar e iria convidar todas as mulheres para o palco. Meu segundo pensamento foi imaginar se eu poderia fazer com que todas essas mulheres boicotassem essa merda por causa do Dr. Luke.

Bom, não dá pra dizer que não é satisfatório imaginar essa cena da Fiona quebrando o troféu em diversos pedaços…

Fiona Apple e o Disco do Ano

Vale lembrar que Fetch the Bolt Cutters foi eleito pela equipe do TMDQA! como o melhor disco de 2020, assim como aconteceu em diversas listas mundo afora. Você pode ver nossa seleção completa por aqui.

 
Compartilhar