Gilson Machado, Ministro do Turismo
 

Gilson Machado, músico com uma carreira considerável como sanfoneiro, é o novo Ministro do Turismo da República Federativa do Brasil.

Em um dos seus primeiros dias no cargo, o ex-presidente da Embratur foi até o Programa Pânico e por lá falou sobre como o turismo está retomando as suas atividades no país, sendo inclusive “exemplo” para nações vizinhas.

Além disso, Gilson foi questionado a respeito de diversos temas atuais e, claro, não deixou de falar do Coronavírus e da pandemia de COVID-19.

Gilson Machado, Coronavírus e Réveillon

Ao ser questionado sobre seu posicionamento em relação às festas de Réveillon, Machado deixou claro que não se importa com aglomerações “pequenas”, e ainda minimizou a COVID-19 dizendo que, com ele, “não tem nada do que reclamar”:

As festas do Réveillon têm que acontecer se tiver o protocolo de segurança… a turma fazendo, seguindo. Eu acho que aglomerações grandes ainda não dá pra liberar, entendeu? Aglomerações menores de 150 até 300 pessoas, como alguns governos estão fazendo… O governo de Alagoas mesmo, aglomeração lá é até 300 pessoas, entendeu?

A gente tem que… viver a vida. A gente não pode, de uma hora pra outra, parar de viver, entendeu? Você vai morrer por antecipação? Entendeu?

A gente vê que a taxa de recuperação hoje é superlativa no Brasil, entendeu?

Eu mesmo já tive a COVID, aqui no governo nosso, no nosso governo aqui em Brasília nós já tivemos mais de 250 pessoas com COVID e ninguém morreu aqui. No nosso governo. Fizemos tratamento precoce, cedo e graças a Deus eu não tenho o que reclamar da COVID comigo.

Eu sei que muita gente tá sofrendo, muitas famílias estão tendo perdas, entendeu? Nós somos solidários com isso, mas é isso aí. Nós temos que levar a vida.

Carreira Musical

Vale lembrar que Gilson Machado tem uma carreira musical ligada ao forró desde 1986, já que é sanfoneiro e atuou tanto em carreira solo quanto na banda Brucelose.

Na própria entrevista com o Pânico, ele diz que já fez mais de 3 mil shows e gravou seu primeiro LP em 1993.

A banda, que chegou a ser categorizada como “forró eletrônico”, tem seu nome inspirado em uma doença (!) que causa aborto em vacas (!!).

Desde o início do governo de Jair Bolsonaro, o músico/político sempre foi muito próximo do atual presidente da República, inclusive aparecendo ao seu lado em lives entoando sua sanfona, como mostramos por aqui quando o governo “homenageou” vítimas do Coronavírus.

Você pode ver as declarações do Ministro do Turismo ao Programa Pânico no vídeo abaixo a partir da marca de 1:46:30. Já deixamos no ponto e é só apertar o play!

No fechamento dessa matéria, o Brasil já registrou mais de 7 milhões de casos de COVID-19 com 183.735 mortes.

   
Compartilhar