Black Alien
Crédito: Oshit Beca
 

Diante de tempos sombrios, em que cada dia aparece um novo caso de racismo, Black Alien, em parceria com Papatinho, liberou a música “Chuck Berry”.

A faixa, lançada através da Extrapunk Extrafunk com distribuição da Altafonte, chega acompanhada de um clipe roteirizado pelo próprio artista.

O vídeo foi dirigido por Premier King e traz nas cenas Débora Barboza, Amiri, Funk Buia e Jota Ghetto.

“O tempo passa, meu corpo vai, mas minhas ideias ficam. As visões estão cada vez mais claras em relação ao que está dentro de mim e muito mais em relação ao que está fora. Desta vez não é o cretino. É um outro Gustavo, pois sou vários dele,” conta Black Alien, citando seu nome de batismo.

Ele apresentou o clipe e a canção ao vivo pela primeira vez no último dia 8, durante show virtual no seu canal no YouTube.

Reparação histórica

Ao alertar sobre as injustiças sofridas pelo povo preto, Alien cita, além de Chuck Berry no título, Little Richard, deixando claro que Elvis Presley não deve receber sozinho todas as honras e glórias.

“Sobre Elvis, eu até gosto dele, mas o protagonismo deve ser dado aos verdadeiros inventores do rock: os pretos,” define o cantor e compositor brasileiro, que também destaca as mulheres, condenando o machismo.

“Não dá pra Deus não ser uma mulher, ainda mais neste momento. Deus é mãe mesmo e homem não vale porra nenhuma,” opina Alien, que no ano passado lançou o álbum Abaixo de Zero – Hello Hell.

Black Alien ainda agradece a Papatinho, que assina a produção musical de “Chuck Berry”. “Ele é inteligente, tranquilo, humilde e dedicado. Trabalhar com Papato é prazeroso, agradável, lucrativo, produtivo e divertido,” finaliza.