fest-da-firma
Arte por Gabriel Dantas
 

2020 tem sido um ano completamente atípico para todos nós e o meio cultural vem sofrendo diretamente com isso. Bandas e artista precisaram se reinventar e buscar novas formas de movimentar a cena. Nesse ano, o selo Rockambole, de São Paulo, recebeu uma quantidade considerável de projetos musicais espalhados por todo o Brasil.

Entre bandas, artistas solos e produtores, o selo entrou em contato com um material extenso e variado, que estimulou a criação do primeiro Edital Rockambole. O objetivo principal do projeto é a seleção de um lançamento inédito a ser totalmente produzido e divulgado pela Rockambole – e parceiros – em 2021. A abertura das inscrições acontecerá neste sábado, dia 5 de Dezembro, e no mesmo dia, de quebra, para celebrar esta novidade, o selo realiza a live aberta Fest da Firma.

Batemos um papo com a galera da Rockambole e o sócio-fundador Ygor Aléxis nos conta que a necessidade de reinvenção já não é uma novidade, principalmente quando o assunto é a digitalização da indústria da música. Mas, segundo ele, a “pandemia forçou bastante o processo de entender como se conectar ainda mais com as nossas comunidades através das redes sociais e plataformas de streaming“.

A gente mergulhou nas pesquisas no início da pandemia, procurando por melhores exemplos, boas práticas e conversando bastante com nossos pares em empresas parceiras, tudo isso para entender como fazer ações com a maior segurança possível para todos os envolvidos, acho que foi por isso demoramos bastante para tomar a atitude de fazer um festival digital.

Live Fest da Firma

Neste sábado, a partir das 18h, o festival-live da Rockambole trará apresentações online e ao vivo das bandas Pelados, PLUMA, Grilo e Scatolove, além das participações de Stéfano Loscalzo, Léo Ramos, Bamba EFX, Maracatech e Dingo Bells. O Fest da Firma será transmitido pelo canal de YouTube do selo e você encontra mais informação sobre a programação acessando o Instagram deles.

Em nossa conversa, tentamos adiantar um pouquinho sobre o formato dos shows e trazemos em primeira mão algumas informações de como tudo vai rolar. Ao TMDQA!, Ygor detalhou:

Os artistas que fazem parte do line-up principal vão se apresentar num palco nosso, isso tudo depois de serem testados para COVID-19 ainda essa semana. Os artistas que estão em outras cidades, como a Dingo Bells e a Maracatech, vão mandar vídeos especiais pra esse momento, além disso colocamos alguns convidados nesse formato, como a carreira solo do Léo Ramos (Scatolove e Supercombo), chamada ReoLamos. Stéfano Loscalzo e Bamba EFX são nossos outros convidados!

O evento contará com a apresentação ao vivo de Isa Ceccarelli e Lucas Coelho. A dupla ficará responsável pelas entrevistas, trará novidade e irá falar sobre os projetos dos artistas e serem a ponte entre a comunidade e as atrações!

Para a produtora Luiza Gonçalves, também sócia do selo, a realização simultânea de um festival-live com as bandas da casa é um complemento perfeito para o lançamento do Edital Rockambole, funcionando como um atrativo cartão de visita.

Um músico que quer gravar e lançar sua música de uma forma bem legal pode se sentir motivado quando assistir um festival com suas bandas preferidas e que trabalham com a gente. Além disso, precisamos falar das parcerias: foi muito legal (e também uma honra) termos o Léo Ramos [produtor musical] e a Iza Costa [assessora de imprensa] com a gente nessa.

No sábado, dia 05 de Dezembro, você poderá curtir o Fest da Firma no player abaixo.

1º Edital Rockambole

Esse edital é uma vontade antiga na Rockambole. Ygor Aléxis conta que o selo sempre teve “vários empurrõezinhos” ao longo de sua jornada e que agora o desejo é de retribuir isso dividindo a sua experiência com um novo artista.

Tem sido um ano muito difícil para a cultura, que acabou sendo especialmente impactado pela pandemia. Com a ausência dos shows, muitas pessoas que fazem parte do mercado musical foram extremamente prejudicadas. Segundo o produtor executivo, “é hora da gente partilhar o que temos e mostrar que estamos mais unidos que nunca“.

 A Rockambole teve o privilégio de sobreviver a tudo isso e nós queríamos retribuir um pouco desse privilégio com novos artistas, queremos dar esse empurrãozinho pra mostrar que ainda é possível fazer música no Brasil. A gente acredita de verdade na música e principalmente no poder que ela tem de cura, incentivar que novos artistas façam música é uma forma da gente contribuir para cultura e automaticamente entrar na vida de mais pessoas com essa coisa tão bonita e transformadora.

As inscrições serão abertas no próprio dia 5 de Dezembro, sábado, com a ativação do formulário de inscrição no site oficial do selo, totalmente gratuito e que poderá ser preenchido até o dia 20 de Dezembro. Se você é músico independente, não perca essa oportunidade. Para te dar aquela colher de chá, perguntamos ao Ygor o que uma banda precisa para dar match com o selo.

A Rockambole é super romântica, sabe? Acho que tem que acontecer naturalmente, rolar aquele olho-no-olho ou, como hoje em dia, aquele olho-na-tela-olho-na-tela [Risos]. Falando sério, agora, tem vários fatores que chamam atenção na banda, mas o principal deles é a música, se uma banda for muito boa e toda a nossa equipe achar isso (estamos falando de gosto, né?) já é um grande indicador, mas é legal saber se os artistas estão dispostos a trabalhar, porque não tem como a Rockambole fazer nada sozinha! A gente facilita o caminho o máximo que a gente pode, mas depende bastante do quanto o artista acredita no sonho dele.

O projeto musical selecionado será divulgado no dia 15 de Janeiro de 2021, pelas redes sociais da Rockambole. Não fique de fora dessa, faça a sua inscrição e, como bem foi destacado, acredite no seu sonho!

Selo Rockambole

Localizado na Zona Leste de São Paulo, o selo Rockambole realiza a gestão de carreira, produção executiva, criação e lançamento de diversas bandas e artistas independentes, não apenas da cidade, como também de outros cantos brasileiros. Pautada num trabalho múltiplo, que atua em diversas frentes simultaneamente: produção musical, design gráfico, comunicação, entre outras, a equipe Rockambole é responsável pelo gerenciamento de carreiras de bandas como O Grilo, PLUMA, Dingo Bells, Reo Lamos e Scatolove e produção de grupos como Stéfano Loscalzo, Maracatech, BambaEFX, entre outros.

Ygor Aléxis nos conta que o selo tem um limite de artistas que pode pegar pra gerenciar toda a carreira, tal qual fazem com o seu casting atual, por isso decidiram disponibilizar um serviço pontual que atende bandas em lançamentos.

 [esse serviço é] pra gente dar aquela forcinha e sentir como rola o trabalho com determinados artistas, além disso aproveitamos para usar isso como uma forma de expandir a equipe Rockambole e treinar essas pessoas. Esse serviço também tem um limite de bandas que conseguimos atender por ano, mas tem sido uma experiência super positiva! Mas independentemente de qualquer coisa a gente ama receber material, nós tentamos ouvir e responder tudo que recebemos.

A banda paulista Inconsciente Coletivo foi uma das que procurou o Selo Rockambole para auxiliar no lançamento de seu álbum de estreia, O Grande Movimento do Não Sei, que saiu em Outubro de 2020. Batemos um papo com o grupo para saber um pouco sobre como esse serviço impactou na estreia do disco.

O contato com eles foi crucial para nos ajudar no processo de criar confiança para optar pela gravação do disco, pois, à princípio, iríamos trabalhar somente o lançamento de 3 singles. E com o auxílio e experiência em lançamentos deles, conseguimos dar a luz ao álbum completo, trabalhando a divulgação com o maior alcance possível de acordo com a nossa realidade.

A  Inconsciente Coletivo acredita que, “no cenário atual, para se levantar uma bandeira como banda independente já é preciso ter coragem“. Para completar o desafio, o ano não é dos mais fáceis. Baseado na necessidade que vinha a tona de colocar o seu trabalho no mundo em um momento em que é preciso tanta reflexão, a banda recorreu a quem entende da parte de distribuição e da produção que é necessária para que a música chegue para os principais veículos.

Por este motivo acreditamos que o papel do Selo se faz bastante necessário para as bandas, por mais que o conhecimento à respeito destes processos tenha se tornado cada vez mais acessível, é muito importante todo o know-how que um Selo pode trazer, além da rede de contatos do meio artístico que muitas vezes o artista independente não consegue ter. […] Além disso, ter a oportunidade de trabalhar com uma assessoria de imprensa, que é um tipo de trabalho que até o momento não tínhamos contato e que compreendemos que se faz tanto necessário quanto a produção e gravação de uma música.

Você pode conhecer mais sobre o selo Rockambole acessa o site rockambole.com.br.