Spotify
Foto Stock via Shutterstock
 

Sem dúvidas, a questão de direitos autorais é uma preocupação real dos músicos ao redor do mundo hoje em dia — ou ao menos deveria ser — e o Spotify entende isso.

De acordo com o site Stereogum, uma nova ferramenta da plataforma está em processo de ser patenteada e deve funcionar como um detector de plágios, ajudando os músicos a evitarem possíveis processos no futuro.

Basicamente, o algoritmo desenvolvido fornece uma partitura com a melodia, os acordes e as letras da música em questão a um software que será “treinado em uma pluralidade de partituras pré-existentes” para calcular um “valor de similaridade”, informando diretamente ao artista quais são os ajustes que devem ser feitos caso ele queira evitar possíveis acusações de plágio.

Não ficou claro, no entanto, se a empresa pretende usar isso de forma a simplesmente vetar a publicação de canções já existentes — mas dificilmente isso será o caso, já que são inúmeras covers postadas todos os dias por lá.

Vamos ficar ligados por aqui e, surgindo mais informações sobre essa ferramenta bem útil, postaremos!

Cursos de direitos autorais

Enquanto a nova ferramenta não chega, aproveite para aprender mais sobre direitos autorais com o curso Música Como Profissão, idealizado por Tony Aiex, fundador e editor-chefe do Tenho Mais Discos Que Amigos!, que tem esse assunto como um de seus três pilares ao lado da comunicação e da produção musical.

O time do curso conta ainda com o aclamado produtor musical Barral Lima, que já trabalhou com nomes que vão desde Milton Nascimento e Lô Borges até Samuel Rosa e Jota Quest; Guilherme Coutinho, doutor em direitos autorais pela USP; e a artista plástica Aline Krupkoski, que também é instrumentista, assim como todos os cofundadores do Música Como Profissão.

Saiba mais e se inscreva por aqui.

 
 
Compartilhar