Blink-182 com Tom DeLonge em 2004
Foto do blink-182 via Shutterstock
 

Quem acompanha o blink-182 sabe que o disco sem título de 2003 é bem aclamado por ser uma das obras mais maduras de uma banda que nunca prezou muito por essa qualidade.

Certamente, o fato do álbum não ter um título mais cômico contribuiu para essa percepção. Acontece que isso quase não aconteceu, como Tom DeLonge revelou em uma entrevista feita com a Billboard em 2003.

Ele contou alguns dos nomes que foram descartados, como Vasectomy Vasecta-you e Our Pet Sounds (referência aos Beach Boys), mas certamente nenhum chamou tanta atenção quanto um que única diarreia e o Rio de Janeiro: sim, o blink quase teve um álbum chamado Diarrhea de Janeiro.

Felizmente, isso acabou não acontecendo e a obra chegou sem título, no que DeLonge explicou na época que foi um movimento não de fazer uma afirmação mas de “deixar o álbum falar por si mesmo”:

A pior coisa no mundo que poderia acontecer é as pessoas acharem que estamos tentando fazer alguma grande e corajosa afirmação. É por isso que tentamos dizer que não é homônimo, é só sem título. Nós não quisemos dar nenhum rótulo a ele. Nós não quisemos dar um título de piada que as pessoas estavam esperando. Nós não quisemos dar uma frase séria à qual o disco inteiro teria que se relacionar de alguma forma. Nós o deixamos sem título para que ele falasse por si mesmo.

Bom, provavelmente foi melhor assim, né? Especialmente para os fãs brasileiros…