Herbert Vianna
Crédito: Mauricio Valladares
 

O vocalista do Paralamas do Sucesso, Herbert Vianna, lançou nas plataformas digitais o álbum solo Hv Sessions – Vol.I.

O disco apresenta dez versões de clássicos internacionais que marcaram a infância, adolescência e primeiros ares da idade adulta de Herbert. Ou seja, são músicas lançadas entre as décadas de 1960 e 1980.

Entre as escolhas do cantor estão bandas como Beatles e The Who. Os registros foram gravados há quase dez anos, antes de Herbert Vianna lançar seu álbum solo anterior, Victoria (2012), no qual fez releituras de suas próprias composições.

“Essas canções são fonte muito direta de inspiração e de motivação por abraçar a guitarra, aprender um pouco mais sobre a criação de imagens que são feitas ali através dos acordes e das letras. Ao que aquilo te remete a sentir e a imaginar,” afirma o artista.

Pietra

Pietra
foto: divulgação

O cantor e compositor cearense Dudé Casado aproveitou o isolamento social para gravar uma canção com sua filha, Pietra.

A jovem estreia na carreira artística com a faixa “SEREIA”, que chega acompanhada de um clipe registrado durante a quarentena.

O vídeo mostra cenas caseiras com a participação dos músicos que gravaram a canção junto com Pietra.

São eles: Rebeca Machado (voz/violão), Beto Lemos (violoncelo), Camille Achard (voz/flauta), Julius Patricius (baixo acústico/arco), Laura Morote (violino), Ramon Saraiva (guitarra), Ranier Oliveira (piano) e Pedro Falcão (bateria).

Severino

Severino
foto: divulgação

O cantor e compositor paraibano Severino disponibilizou no YouTube o lyric video feito para a canção “Flowers in Bloom”.

O material é uma animação assinada pela artista carioca Barbara Coimbra e a canção, que integra o disco Grown Up Emancipation, fala sobre a auto descoberta de uma adolescente, com suas dúvidas e desejos.

Deadman Dance

Deadman Dance
foto: Rafaela Antonelli

O power trio paulista Deadman Dance lançou nas plataformas de streaming o EP de estreia Ticking Clocks.

O compacto apresenta seis faixas que passeiam entre o grunge, stoner rock, punk e a música brasileira.

O projeto foi capitaneado pelo violinista Eduardo Geraissate, que se juntou a baterista Rafaela Antonelli e ao baixista Henrique Codonho para formar o novo grupo.

“As nossas influências vem desde Nirvana, Queens of the Stone Age, Radiohead, Far From Alaska, Joy Division, quanto da música popular brasileira. O nosso som vai no contrário da música de orquestra, sendo direto, rápido e agressivo em boa parte das vezes,” começa Geraissate.

“Aqui o violino abandona o conceito de instrumento melódico, cuidando na maioria das vezes da parte harmônica, com o baixo fazendo as melodias entremeadas. A bateria aparece e costura tudo com precisão, preenchendo as frestas que ficam em aberto e dando o ritmo das músicas,” completa.

Ticking Clocks é um lançamento conjunto dos selos Howlin’ Records, Oxenti Records e Fuzzy Cracklins (EUA).

Andaluz

Andaluz
foto: divulgação

O duo paulista Andaluz, formado pelos músicos Agê e Eduardo Arrj, divulgou uma sessão ao vivo da faixa “Sob o Céu Todo Estrelado”.

O registro é mais um vídeo da série Alcalina Apresenta, do selo Alcalina Records, e foi gravado no LAJE SP.

O título da canção é inspirado em poema de mesmo nome de Manuel Bandeira e o lançamento precede o disco de estreia da Andaluz, Casa Suspensa, com previsão para sair em 2021.

“O minimalismo é uma constante da Andaluz, principalmente quando tocamos em formato duo. Dentro dessa linguagem, presto reverência à música brasileira e latino-americana, nos dedilhados e levadas da guitarra onde mesclo alguns elementos de ambas as sonoridades,” comenta Agê sobre o projeto.

Anteriormente, a dupla havia liberado os singles “Tal Qual” e “Chás e Especiarias”.