Eric Clapton tenta ajudar Maradona a se livrar das drogas
Fotos: Shutterstock | Wikimedia Commons
 

O icônico ex-jogador argentino Diego Maradona, que faleceu na última quarta-feira, 25 de Novembro, recebeu a ajuda do extraordinário guitarrista Eric Clapton para tentar se recuperar do vício em drogas.

De acordo com informações da colunista María Laura Avignolo, do jornal argentino Clarín (via Whiplash), ela e outro jornalista, o britânico Ian do The Observer, tinham um acordo para só tornar essa história pública quando Maradona não estivesse mais entre nós. A ajuda de Clapton só foi revelada na última semana.

A situação ocorreu quando Maradona estava em Cuba tentando se curar de seus vícios, mas na verdade se encontrava em um estado cada vez pior.

Eric Clapton e Maradona

O site informa que mesmo com vários amigos do jogador se revezando para visitá-lo, más companhias também se faziam presente. Os excessos foram iguais ou até piores de quando Diego estava em Buenos Aires.

Seu empresário Guillermo Coppola falava em código: eles sabiam que estavam sendo ouvidos e vigiados. Fidel Castro não tinha interesse na deterioração da saúde do ídolo do futebol em Cuba.

Com o objetivo de fazer com que o atleta argentino fosse ao CrossRoad, clínica em Antigua, no Caribe, criada por Eric Clapton, o jornalista britânico iniciou um “longo processo” para fazer a ponte entre Diego e o guitarrista.

O centro foi fundado por Clapton em 1988 para que ele se curasse do vício em heroína e drogas pesadas, segundo a jornalista. Avignolo definiu o espaço que poderia ser o local ideal para a recuperação de Maradona:

Um oásis de paz, serenidade, amor para acalmar os demônios da alma. Um compromisso com a abstinência de álcool, drogas, mutilação. Uma mudança de estilo de vida para resistir à abstinência e ao crescimento pessoal na recuperação.

Ainda foi destacado que o ex-jogador receberia um tratamento “da mais alta qualidade” e que não iria lhe custar nenhum centavo.

Clapton e Maradona

Após diversas tentativas e com uma “enorme paciência”, Eric que estava em uma turnê pelo Japão, conseguiu ligar para Maradona, que mudava de celular todos os dias. Diego atendeu e uma pessoa traduziu a conversa.

O guitarrista falou sobre sua admiração, seus demônios, a necessidade de se tratar, e sobre sua experiência. O jogador de futebol prometeu ir. Clapton se ofereceu para mandar alguém buscá-lo. Coppola estava animado, ele começou a ver a luz no fim do túnel.

Apesar dessa conversa e da promessa, Diego Maradona nunca chegou a ir ao Crossroad. Ele continuou em Cuba e acabou não se cruzando nunca mais com Eric Clapton.

   
 
Compartilhar