Billy Idol em Portugal (2012)
Foto via Shutterstock
 

Billy Idol é um dos maiores ícones do Punk Rock e o cara está sendo apresentado para toda uma nova geração graças à sua participação em Plastic Hearts, novo álbum de Miley Cyrus.

Em uma nova entrevista à Rolling Stone dos EUA, Idol falou sobre as suas origens no Punk e como se sentiu inspirado pelos Sex Pistols a largar a universidade e entrar em uma banda do gênero:

Em 1976 eu recebi esse cartão postal do Steve Bailey, que depois foi do Siouxsie and the Banshees [como Steve Severin]. Ele tinha visto os Sex Pistols e me mandou esse cartão postal dizendo, ‘Eu vi a banda que estávamos esperando. Volte aqui para Londres’. Porque eu estava na Sussex University em Brighton. E aí eu fui pra Londres e eu vi alguns shows e eu vi os Pistols saírem de covers tipo ‘Substitute’ [do The Who], e aí uma semana eu fui e eles tocaram uma nova música, e era ‘Pretty Vacant’. Não era só uma música. Era uma ótima música. E aí, tipo uma semana ou coisa assim depois, eles trouxeram ‘Anarchy in the U.K.’. E digo, quando você ouvia aquilo, era só tipo, ‘Esse é o hino dos nossos tempos!’. Nós só meio que acreditamos no que estávamos vendo, de verdade. Eu tinha uma crença intrínseca de que era isso que nossa geração tinha que fazer.

Outra fala sensacional foi quando o músico finalmente explicou como surgiu seu icônico penteado — espetado e platinado — e como, na verdade, foi um “acidente”. Segundo Billy, uma mulher que ele conhecia se ofereceu para pintar seu cabelo mas esqueceu uma tinta, resultando no visual que ficaria eternizado:

Eu ia fazer umas luzes azuis [no cabelo]. Ela descoloriu meu cabelo, porque primeiro você descolore para colocar essas luzes azuis, e depois você pinta de preto de novo. E aí ela procurou em uma bolsa e falou, ‘Ah, eu esqueci as luzes, então eu não posso fazer o que íamos fazer. Eu vou pegá-las e nós faremos semana que vem’. Então eu meio que olhei no espelho e falei, ‘Bom, isso não é tão ruim assim, na verdade. É meio que engraçado’. Ficou um pouco alaranjado, mas foi legal, especialmente para o Punk. Então eu fui pro ensaio daquele jeito com meu grupo, o Chelsea. Assim que eu entrei pela porta, o vocalista, Gene October, disse, ‘Você não vai deixar seu cabelo desse jeito, vai?’. Eu comecei a contar a história toda, mas ele ficou tão desse jeito que eu só pensei, ‘Ele deve estar preocupado que eu vou chamar mais atenção do que ele’. E claro, eu disse, ‘Sim, eu vou pintar de volta’. Quando, claro, eu nunca pintei. E aí virou meio que uma marca registrada.

Você pode ver mais trechos destacados, incluindo partes em que ele fala sobre a sua ideia de incorporar sintetizadores ao Punk, pelo site da Rolling Stone dos EUA. Lá também é possível ouvir o podcast na íntegra.

LEIA TAMBÉM: Sem ousar, Miley Cyrus acerta em cheio ao celebrar os Anos 80 com “Plastic Hearts”

   
 
Compartilhar