Laverne Cox em 2015
Foto de Laverne Cox via Shutterstock
 

A atriz Laverne Cox, conhecida pela personagem Sophia Burset na série Orange Is The New Black, sofreu um ataque transfóbico ao lado de um amigo durante um passeio no Griffith Park, em Los Angeles.

Em sua conta do Instagram, a artista explicou detalhadamente como tudo aconteceu depois que “um homem passou e perguntou agressivamente pelas horas”.

Meu amigo olhou para o relógio e informou as horas. Então, o homem que perguntou disse a ele se referindo a mim: ‘Menino ou menina?’. Meu amigo respondeu: ‘Vai se foder’.

Incomodado com a resposta, o homem começou a atacar fisicamente o amigo de Cox que decidiu reagir. A atriz disse que ficou surpresa com a briga e no momento que pegou o celular para ligar para a polícia, o estranho foi embora.

Emocionada e ainda em choque com a situação, Cox questionou no vídeo:

O cara realmente queria que eu respondesse [quando ele perguntou as horas] para que ele pudesse se assustar se eu fosse trans ou não.

Não sei por que isso importa. No final do dia, é como, ‘quem se importa?’ Estou de moletom e calça de ioga, estou completamente coberta, tenho minha máscara – quem se importa se eu sou trans? Quem se importa? Como isso afeta sua vida?.

A atriz confessou que apesar de já ter vivido situações assim diversas vezes, isso é algo que “nunca deixa de ser chocante”.

Não importa quem você é. Você pode ser, tipo, Laverne Cox, o que quer que isso signifique. Se você for trans, você vai viver coisas assim.

Laverne e seu amigo estão bem. A artista finalizou pedindo para que seus seguidores não se sintam culpados quando vivenciarem uma situação de transfobia.

É importante para mim me lembrar e lembrar a você que, quando essas coisas acontecem, não é sua culpa.

Não é sua culpa que as pessoas não sejam legais com a sua existência no mundo. Não foi culpa do meu amigo, não foi minha culpa que isso aconteceu. Temos o direito de andar no parque.

Segundo relatório da Campanha de Direitos Humanos, pelo menos 39 pessoas trans ou não-conformes com o gênero foram assassinadas nos Estados Unidos, neste ano.

Desde que a campanha começou a rastrear esses dados em 2013, os números nunca foram tão altos como neste momento.

Assista abaixo ao vídeo completo com o depoimento da atriz.

 
Compartilhar