Djonga em manifestação no Carrefour
Ouça playlist com clássicos do Rock!  

Hoje mais cedo acordamos, mais uma vez, com uma triste notícia de violência extrema contra uma pessoa negra.

Em uma unidade da rede de supermercados Carrefour em Porto Alegre, um homem de 40 anos de idade chamado João Alberto Silveira Freitas foi espancado até a morte por dois seguranças brancos, sendo que um deles é PM temporário.

Em pleno Dia da Consciência Negra, manifestações estão rolando por todo o país e o rapper Djonga esteve em uma delas em Belo Horizonte, documentado tudo nos Stories de seu Instagram.

O protesto aconteceu em uma unidade do Carrefour na capital mineira, e nos vídeos de Djonga é possível ver que os manifestantes gritam palavras como “Carrefour racista” enquanto andam pelo local.

Assassinato em Porto Alegre

Os seguranças foram autuados em flagrante por homicídio triplamente qualificado: motivo fútil, asfixia e recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

A decisão foi baseada em vídeos que circularam mostrando a violência contra João no estacionamento do supermercado, e uma investigação na Brigada Militar já está em curso para apurar se o Policial Militar temporário poderia estar trabalhando ali.

PM Temporário

A Gaúcha Zero Hora publicou uma matéria explicando o que são esses cargos temporários e disse:

Os PMs temporários ingressam na Brigada Militar por meio de uma seleção diferenciada, voltada para egressos das Forças Armadas. Eles atuam por um período de dois anos, renováveis por mais dois. E são contratados para funções específicas, principalmente administrativas e internas.

Também podem atuar na guarda externa de presídios, segundo o tenente-coronel Stumpf. O ingresso deles permite que policiais de carreira fiquem dispensados de tarefas burocráticas e possam reforçar o policiamento de rua. O PM preso por espancar e matar um cliente do Carrefour é oriundo do Exército, tem 25 anos e ingressou na BM em julho de 2018.

Você pode ver os vídeos de Djonga logo abaixo, via Rap Mais.

 
Compartilhar