Rob Halford do Judas Priest no Solid Rock
Foto por Stephanie Hahne
 

Em uma nova entrevista com o podcast Life in the Stocks, o lendário Rob Halford deixou bem claro que o Rock não tem barreiras na sua visão.

Perguntado sobre sua opinião acerca do anúncio de que Miley Cyrus lançaria um disco de covers do Metallica, o vocalista do Judas Priest não hesitou e se derreteu em elogios por ela e ainda aproveitou para citar outros nomes e frisar o “poder das mulheres” na música (via Classic Rock):

Ela é incrível. Se você pensar sobre a vida dela no showbusiness desde que era uma pequena criança, e como ela manteve sua cabeça no lugar. […] Ela ficou doidona quando era adolescente, o que é normal fazer, é seu direito, ela estava se expressando. Eu mal posso esperar [para ouvir o disco de covers de Metallica], vai ser ótimo. Ela tem uma voz extraordinária, como a [Lady] Gaga. A voz é tudo, e ela é uma metaleira, ela está sempre fazendo o sinal do metal. Ela é alguém que eu adoraria conhecer se os astros se alinhassem.

[…]

Poder das mulheres, poder das garotas… que sejam abençoadas, nós não estaríamos aqui sem as mulheres, nenhum de nós rapazes estaria aqui sem nossas belas mamães. As mulheres são tão fortes e poderosas, especialmente na música. […] Gaga, Madonna, Miley, minha amiga Maria [Brinks] do In This Moment, e voltando no passado até Vinegar Joe com Elkie Brooks, e Janis Joplin e Shirley Bassey… o poder das mulheres não pode ser minimizado.

Você pode saber mais sobre esse projeto de Miley por aqui, e lembramos que ela também prepara um “disco de Rock” que deve chegar ainda em 2020 com participações de Billy Idol, Joan Jett e mais.

Rob Halford

Vale lembrar que nos últimos tempos o vocalista passou por uma situação bem chata na indústria musical, quando um entrevistador fez um comentário homofóbico durante conversa com Sebastian Bach, amigo de Rob, durante uma conversa.

Bach chegou a abandonar a entrevista mas Halford participou do programa poucos dias depois e deu uma resposta sensacional ao autor da “piada” homofóbica.