Angus Young chora ao falar sobre Malcolm
 

Na semana passada a lendária banda australiana AC/DC lançou um novo disco de estúdio chamado Power Up.

O álbum foi descrito pelos próprios integrantes como uma homenagem ao guitarrista Malcolm Young, morto em 2017 aos 64 anos de idade, e agora quem falou a respeito da passagem do músico foi seu irmão, Angus Young.

Em uma entrevista para o programa 60 Minutes, o também guitarrista apareceu em estúdio enquanto o vocalista Brian Johnson estava em uma tela à distância, pela Internet.

Por lá, os dois conversaram sobre Power Up e a apresentadora fez questão de falar bastante a respeito de Malcolm.

Em um primeiro momento, ela ressaltou a relação dos irmãos, e Angus disse que desde muito cedo Mal decidiu que os dois tocariam em uma banda juntos:

Eu perguntei pra ele, ‘Sério mesmo?’ E ele disse, ‘Claro que sim. Você é um guitarrista tão bom quanto os outros.’ E esse era Mal. Quando ele decidia algo, seguia em frente com essa ideia até o final.

Angus Young, Malcolm Young e o AC/DC

Quando falou a respeito da morte do irmão, Angus se emocionou e seus olhos se encheram de lágrimas.

Emocionado e com dificuldades para completar as frases, ele disse:

Eu acho que a parte mais difícil não foi a sua morte, porque isso foi meio que um final, ou um alívio. Eu acho que a parte mais difícil é a negação – essa é a parte difícil. Por causa da forma como você o conhecia, e aí de repente você vê que aquilo acabou.

Eu posso dizer que até o final, quando eu estava com ele, o sorriso no seu rosto era imenso. E isso sempre me deu alegria. Mesmo quando ele estava naquele estado [Malcolm sofria com demência], isso sempre me dava alegria. E ele ainda ficava todo empolgado quando eu tocava guitarra pra ele. Ele tentava bater o pé junto. E ele sempre sabia que eu estava lá. Então isso foi algo grandioso. Eu estive com ele até o fim.

Você pode assistir ao vídeo da entrevista logo abaixo.

A parte sobre a morte de Malcolm começa por volta de 9:48. Já deixamos o vídeo no ponto e é só apertar o play logo abaixo.

LEIA TAMBÉM: “Power Up” – AC/DC celebra legado com mais do mesmo que faz diferença em 2020

 
Compartilhar