10 participações não creditadas
Fotos via Wikimedia Commons
Ouça playlist com clássicos do Rock!  

Fazer participações em músicas é algo bastante comum, mas às vezes existem questões que impedem a divulgação apropriada dos feats.

Seja por conta de travas contratuais com gravadoras ou por algum outro motivo — como por exemplo uma vontade de permanecer misterioso —, alguns artistas preferiram não receber os devidos créditos pelos seus serviços.

Alguns você consegue perceber logo de cara, outros são mais discretos e tiveram suas identidades escondidas por mais tempo, mas o que importa é que no fim das contas todos contribuíram bastante para as músicas de outros artistas.

Resolvemos, então, separar 10 dessas participações não creditadas e você pode curti-las logo a seguir!

Scott Weiland em “Rx Queen”, do Deftones

A participação que inspirou essa lista: 20 anos depois do lançamento de White Pony, o vocalista Chino Moreno finalmente admitiu que Scott Weiland, do Stone Temple Pilots, participou de “Rx Queen”.

Segundo Moreno, a parceria aconteceu de forma bastante orgânica já que os dois se encontraram num estúdio e enquanto ele estava tocando a faixa, Weiland puxou um microfone e começou a cantarolar junto, harmonizando uma melodia mais grave no refrão.

Jimi Hendrix em “Mercy Mercy”, de Don Covay

Antes de Jimi Hendrix ser Jimi Hendrix, o lendário guitarrista gravou algumas participações com grandes grupos e artistas dos anos 60, como os Isley Brothers.

A mais marcante, sem dúvidas, é a sua participação em “Mercy Mercy”, de Don Covay, onde podemos ouvir um riff extremamente característico do músico logo no começo da canção, não deixando dúvidas de que, mesmo sem ser creditado, quem gravou isso foi o único guitarrista que fazia coisas do tipo na época. A faixa chegou a ser regravada pelos Rolling Stones.

Princesa Stephanie de Mônaco em “In the Closet”, de Michael Jackson

Sim, você leu certo. O Rei do Pop já chegou a ter uma princesa em uma de suas músicas. Originalmente, a ideia era trabalhar com outra realeza: “In the Closet” foi concebida para ser uma parceria entre MJ e Madonna, a Rainha do Pop, mas isso acabou não dando certo e quem foi creditada pelos vocais femininos foi uma “Garota Misteriosa”.

Acabou que essa garota era a Princesa Stephanie de Mônaco, encantada com os talentos de Michael. Para o clipe, no entanto, a parte falada foi regravada (e creditada) para Naomi Campbell.

Chad Smith em “Broken”, de Jake Bugg

Fenômeno que desapareceu tão rápido quanto surgiu, Jake Bugg teve sua ascensão consolidada quando regravou alguns de seus primeiros sucessos para o seu disco de estreia sob o comando do lendário Rick Rubin.

E, na hora de regravar “Broken”, o produtor resolveu chamar um amiguinho para participar: Chad Smith, do Red Hot Chili Peppers. Sabe o que é pior? Jake nem sabia quem era o cara.

Paul McCartney em “Vegetables”, dos Beach Boys

Você deve saber que os Beach Boys são fãs de uns experimentalismos malucos, e falar nisso é falar em Beatles também. Esses dois mundos se uniram na parceria mais curiosa dessa lista, que foi quando Paul McCartney gravou com Brian Wilson em companhia na faixa “Vegetables” (ou “Vega-Tables”).

O bizarro não é o fato de Paul ter participado, claro, pois isso faria todo sentido. A questão é que Macca não gravou nenhum instrumento tradicional e sim… uma cenoura. Sim, a participação do lendário ex-Beatle se deu comendo uma cenoura sob um microfone. Incrível!

Taylor Hawkins em “If It Makes You Happy”, de Sheryl Crow

Além de sua carreira com o Foo Fighters, o baterista Taylor Hawkins tem diversos outros trabalhos — inclusive com a Alanis Morissette, como você já deve saber, em hits como “You Oughta Know” e em sua banda de turnê.

Acontece que o cara tem uma boa relação com Sheryl Crow, com quem já trabalhou algumas vezes, e por algum motivo também esteve prestando seus serviços em “If It Makes You Happy” sem ser creditado por isso.

Dave Grohl em “I’ve Been Waiting for You”, de David Bowie

Em entrevistas, Dave Grohl sempre diz que “quase gravou com David Bowie“, mas a verdade é que os dois já estiveram juntos nos palcos e também em estúdio, fazendo um cover de Neil Young.

“I’ve Been Waiting for You” esteve no disco Heathen, de 2002, e contou com Grohl nas guitarras em uma participação que é bem reconhecida e sabida por aí, mas há dúvidas sobre os créditos.

Eric Clapton em “While My Guitar Gently Weeps”, dos Beatles

Talvez a participação não creditada mais conhecida da história seja a guitarra de Eric Clapton em “While My Guitar Gently Weeps”, onde ela dialoga com o instrumento de George Harrison e transforma em música uma das relações mais confusas e complexas da música entre dois amigos que passaram por situações no mínimo estranhas juntos.

Mais ainda, a parceria só aconteceu porque os próprios Beatles estavam em péssimos termos e havia um desinteresse generalizado na composição de Harrison. Então, acho que podemos dizer que há males que vem para bem?

Jimmy Page em “Goldfinger”, tema de James Bond

Antes do Led Zeppelin, o lendário Jimmy Page chegou a tocar em gravações de diversos artistas e você pode nunca ter percebido mas uma dessas participações foi em “Goldfinger”, tema do filme de James Bond que leva o mesmo nome.

Assinada por Shirley Bassey, a canção teve Page como músico de estúdio gravando linhas de violão.

John Legend, Elton John, Alicia Keys, Drake, Fergie e mais em “All of the Lights”, de Kanye West

“All of the Lights” é uma das melhores canções de Kanye West e já traz a participação creditada de Rihanna Kid Cudi, mas tem mais gente envolvida por ali — e muita.

No total, somam-se à canção John LegendElton JohnTony WilliamsThe-Dream, Charlie WilsonElly JacksonAlicia KeysFergieRyan LeslieDrakeAlvin Fields Ken Lewis, todos de maneira não creditada e adicionando as diversas camadas de voz que ouvimos no produto final.