System of a Down
Divulgação
 

Você deve ter visto que, nos últimos dias, o System of a Down lançou suas primeiras novas músicas em 15 anos.

“Protect the Land” e “Genocidal Humanoidz” chegaram com um objetivo muito claro: ajudar a arrecadar fundos para a Armênia, que enfrenta uma guerra promovida pelo Azerbaijão e Turquia na região de Nagorno-Karabakh, chamada por eles de Artsakh.

Esse objetivo parece ter sido bem cumprido, pois um novo comunicado da banda afirma que já foram arrecadados mais de R$3,5 milhões para a causa. O SOAD informa:

Estamos sem palavras com a gratidão pelo incrível apoio de vocês à nossa campanha pelas pessoas de Artsakh, e por nos ajudarem a levantar mais de US$600 mil até agora em doações para prover suprimentos àqueles que mais precisam através do Armenia Fund.

Por causa de vocês, nós seremos capazes de ajudar civis deslocados, jovens e idosos, que são afetados pelos terríveis crimes de guerra infligidos em Artsakh pelo Azerbaijão e pela Turquia. Por favor assistam a essa entrevista na íntegra para ter um olhar e entendimento mais íntimo do porquê de termos nos juntado para lançar ‘Protect the Land’ e ‘Genocidal Humanoidz’.

Para nós quatro, é extremamente importante compartilhar essas verdades com vocês. É pelos nossos ancestrais, pela nossa cultura, e pela nossa nação. Nos ajudem a espalhar a mensagem.

A entrevista em questão está disponível em vídeo ao final da matéria.

System of a Down

Por lá, os quatro integrantes se reúnem em uma rara aparição conjunta que não seja nos palcos. Você pode assistir na íntegra abaixo (em inglês), e por lá eles falam sobre toda a situação que vem acontecendo no país.

O vocalista Serj Tankian destaca, inclusive, que a intenção principal das canções é fazer as pessoas prestarem atenção na injustiça que ocorre no país de qual todos os integrantes são descendentes; já o baterista John Dolmayan pede atenção para que o que aconteceu em 1915 (o Genocídio Armênio) não volte a acontecer.

LEIA TAMBÉM: Com novas músicas, System Of A Down mostra que continua forte e necessário depois de 15 anos

 
Compartilhar