John Lydon/Johnny Rotten
Reprodução/Instagram
 

John Lydon, que ganhou fama em um passado distante sob o pseudônimo Johnny Rotten com o Sex Pistols, foi convidado do Good Morning Britain na manhã deste 4 de Novembro no Reino Unido.

Hoje residindo na Califórnia, o vocalista falou sobre seu apoio a Donald Trump — algo que ele já havia declarado, como te contamos no Instagram do TMDQA! — e sobre como continuará defendendo o atual presidente dos EUA, explicando seus motivos para isso.

Yahoo! transcreveu a fala de John:

Eu sou um inglês da classe trabalhadora, faz completo sentido que eu vote em uma pessoa que fala sobre o meu tipo de gente. A mídia nos EUA, ela é liberal, ela se proclama com uma mentalidade liberal, ela é apenas na verdade basicamente liberal com a verdade.

Ela basicamente segue as regras do partido Democrata assumindo que eles sabem o que é melhor mas eles não sabem nada sobre, digamos, a classe operária, latinos, afro-americanos dentro ou fora das grandes cidades.

[…]

Agora, o Trump não é um político e ele nunca disse que era um. O quão incomumente, excepcionalmente maravilhoso é isso para pessoas como eu, pessoas da classe trabalhadora. Nós estamos entediados com as suas ideias intelectuais de esquerda, nós não aguentamos muito mais de vocês. Vocês falam tanta besteira […] que vocês se esquecem de quem a população geral é.

Foi nesse momento que uma das apresentadoras do programa, Susanna Reid, tentou fazer um novo questionamento a Lydon — ele já falava por cerca de um minuto e meio.

Ao sinal de sua fala, o vocalista gritou “Não! Me deixe terminar!”, mas ela pareceu disfarçar com uma risada e fez a pergunta do mesmo jeito — “E quanto à grosseria dele? E quanto à sua detestabilidade?”. Ele continuou sua fala sem abordar isso:

[O sistema] não faz nada por essas pessoas e é por isso que elas agora o apoiam com tanta lealdade. Porque ele é a única esperança. Você o chama de narcisista, você pode chamá-lo de nojento mas ele é a única esperança.

Você pode ver tudo isso e os outros quase cinco minutos de John falando praticamente sem parar pelo vídeo a seguir.

John Lydon defende Trump no Good Morning Britain