Como diferenciar distribuidoras digitais

Por Natalia Salvador

O mercado brasileiro é um dos principais no mundo e, por isso, sofreu uma verdadeira invasão de distribuidoras digitais de música. Mas você, artista, entende como elas se diferenciam uma das outras ou como podem te ajudar? Para esclarecer essa e outras dúvidas, o Fast Forward Podcast recebeu Ulises Gasparini, Diretor Comercial do iMusica, a mais antiga distribuidora de música no Brasil, e Verônica Pessoa, Label Manager na Believe Brasil, empresa de origem francesa que também atua no mercado brasileiro. 

 

O mercado brasileiro está aquecido e chamando atenção de empresas estrangeiras

Com o crescimento exponencial do segmento no Brasil, muitas empresas estrangeiras – tanto as já baseadas no país como outras – estão de olho nesse mercado. Para Ulises, sempre que existe esse movimento crescente, principalmente na concorrência, é uma boa oportunidade para desenvolvimento e melhora nos serviços. 

Por outro lado, muitas vezes o artista acaba se apoiando nas distribuidoras a fim de ter um suporte no marketing e promoção digital de seu trabalho, mas, para Ulises e Verônica, esse movimento não é positivo quando não há estrutura para oferecer o serviço. “Os artistas e selos precisam se inteirar do mercado para ter controle do que está acontecendo e para entender qual distribuidora vai fazer mais sentido para eles”, afirmou o Diretor Comercial da iMusica. “Hoje no Brasil essas duas frentes não estão conseguindo se estruturar. Não tem apoio público, não tem o suporte do ao vivo, então as distribuidoras precisam ter o mínimo de pedágios possíveis para conseguir ajudar de maneira mais clara”, completou Verônica. 

 

O artista precisa entender qual serviço está contratando

Além disso, outro ponto importante que Verônica destaca é a relação entre distribuidoras e gravadoras. “Elas precisam entender exatamente quais são os papéis de cada uma, é um trabalho de conscientização para contar o que entregam”, pontuou, destacando que quem está chegando no Brasil têm todo interesse em entender o funcionamento desse mercado que está em constante crescimento. 

Muitas empresas podem se comprometer com serviços que fazem parte da entrega de distribuidoras e, com isso, gerar dúvidas e confusões sobre todo o processo. O selo e o artista precisam entender o que querem e, principalmente, o serviço que está contratando. Acompanhe mais detalhes da conversa e o “aperte o play” dessa semana no link abaixo!