Joe Biden e Donald Trump
Fotos via ABC News e NBC News
   

Nesta quinta-feira (15), os candidatos à presidência nos EUA Joe Biden Donald Trump fizeram debates com eleitores em redes de televisão (ABC News e NBC News, respectivamente) e já temos os números preliminares de audiência de cada um.

No YouTube, a vitória de Biden foi clara: segundo a Newsweek, o candidato do Partido Democrata foi visto quase cinco vezes mais do que o Republicano, com 507,445 espectadores ao final da transmissão de Joe contra 153,660 de Donald.

Já na televisão, a CNN conta que o programa da ABC com Biden teve média de 13,9 milhões de espectadores na única emissora em que foi televisionado; Trump esteve em dois canais da NBC além do principal — a MSNBC e a CNBC — e atingiu respectivamente 10,6 milhões, 1,74 milhões e 671 mil espectadores em média em cada um, totalizando cerca de 13 milhões e ficando abaixo de Joe.

Joe Biden, Donald Trump e números de audiência

Vale lembrar que Trump sempre se apegou muito aos números de audiência para se valorizar, inclusive apelando para as fake news em Agosto quando a divulgação oficial de dados mostrou que a Convenção Nacional Democrata foi mais vista do que a Convenção Nacional Republicana.

Ele afirmou, à época, que os números estavam incorretos e que “a Convenção Nacional Republicana DETONOU a Convenção Nacional Democrata”, citando que 147,9 milhões de pessoas teriam assistido ao evento.

Os números oficiais mostraram média de 19,4 milhões de espectadores por dia para os Republicanos e 21,6 milhões de espectadores por dia para os Democratas.

Outra ressalva importante é que diversos funcionários, artistas e celebridades relacionados à NBC, que sediou o programa de Trump nesta quinta-feira, fizeram críticas à decisão da emissora de ceder esse tempo ao candidato.

Rachel Maddow, que trabalha em um dos canais da franquia (MSNBC), fez questão inclusive de se desvincular da decisão afirmando que “foi uma produção da NBC News” e não da MSNBC.

As pesquisas eleitorais, segundo a BBC, mostram Joe Biden à frente por 52% a 42% nas intenções de voto.

 
Compartilhar