CPM 22 - Oriente
   

E o CPM 22 está lançando uma nova música.

Trata-se de “Oriente”, canção que mostra todo DNA do grupo que surgiu na cena underground de São Paulo há 25 anos, completamente imerso nas cenas do Punk Rock e do Hardcore.

Como você, leitor do TMDQA!, já sabe, a ideia da banda é lançar uma nova música por mês até o início do ano que vem.

A primeira foi “Escravos” e a canção de hoje dá sequência ao projeto.

Entrevista Exclusiva com Badauí (CPM 22)

Badauí deu uma entrevista exclusiva ao Tenho Mais Discos Que Amigos! em nosso Podcast, como você pode ouvir em seu player favorito e/ou logo abaixo.

No papo, ele revelou os planos de lançamentos de inéditas, falou sobre a saída do baterista Japinha e muito mais.

Ouça a canção na sequência, já presente na playlist oficial do TMDQA!

Letra

Quem escreveu a letra foi o guitarrista Luciano, que explicou a ideia por trás de todo processo de composição:

O nome ‘Oriente’ é um duplo sentido porque o refrão diz ‘me oriente pelas estradas dessa vida’ e porque minha namorada é japonesa. E isso aconteceu de maneira muito natural, as frases foram surgindo na minha cabeça.

E eu fiquei muito feliz e honrado com a interpretação do Badaui para essa música, principalmente, por ser uma história pessoal. Acredito que o fato de a mulher dele ter nos apresentado e nossa relação de amizade tenha influenciado na maneira de cantar a música como se fosse uma história dele.

Eu tenho um pouco de dificuldade de falar de sentimentos, só consigo nas músicas, e um dia eu estava caminhando e ouvindo ‘Cinema Mudo’, dos Paralamas, e quando ele canta ‘eu tenho que aprender a dizer tudo que eu sinto por você, eu tenho que aprender num desses seriados de TV’ esse trecho me pegou. E eu pensei: tenho que escrever uma música para dizer tudo o que eu sinto por ela e não consigo falar. Herbert Vianna foi muito importante na construção dessa letra. Aliás, toda vez que eu estou travado para escrever uma letra, é só ouvir Paralamas que destrava. É impressionante como o Herbert consegue influenciar a gente a vida inteira.

Uma noite de janeiro como outras tantas
Muito quente, muita gente na lembrança
Quem diria que seria um tanto diferente
Por um instante a terra parou de repente

Quando vi não pude acreditar
Me oriente pelas estradas dessa vida
Estradas dessa vida

A partir daquele dia tudo andou pra frente
Do seu jeito no seu tempo com respeito
Eu remei eu insisti eu me fiz presente
Por várias semanas

Quando te vi não pude acreditar
Me oriente pelas estradas dessa vida
Estradas dessa vida

Quando vi não pude acreditar
Me oriente pelas estradas dessa vida
Estradas dessa vida

Construindo pouco a pouco nossa identidade
Conduzindo com amor sinceridade
Te ofereço minha alma por inteiro
E não pela metade

Quando te vi não pude acreditar
Me oriente pelas estradas dessa vida
Estradas dessa vida

Voz e bateria da canção foram gravadas no Estúdio 44, em São Paulo, e baixo e guitarras foram registrados no home studio do guitarrista Phil Fargnoli, que também produziu ao lado de Luciano Garcia.

A mixagem foi realizada no Estúdio Sunrise Music, do baterista Ali Zaher, a cargo dele e de Phil.

Já a masterização foi realizada por Jason Livermore no lendário Blasting Room Studios, por onde já passaram lendas do punk como Descendents, NOFX, Lagwagon e Rise Against.

 
Compartilhar