CEFA
Crédito: divulgação
   

A banda de post hardcore paranaense Cefa disponibilizou nesta sexta-feira (16) nas plataformas digitais o álbum Caos. Este é o terceiro trabalho de estúdio do grupo e apresenta 12 faixas inéditas.

Uma delas, “Solidão”, tem a participação de Lucas Silveira, líder da Fresno. “Como tudo nesse álbum, a participação do Lucas também foi uma decisão artística, uma vez que ele me influenciou muito como compositor. Além disso, grande parte do nosso público sempre clamou por esse feat. Além de uma realização pessoal, essa collab é também uma realização para os nossos fãs”, define o vocalista Caio Weber.

O lançamento ainda marca uma nova fase da Cefa, quando o grupo se abre e se revela dentro da própria arte.

“É até difícil falar sobre o disco, porque todas as coisas que eu acredito que precisavam serem ditas estão descritas nas letras. Eu escrevi coisas nesse álbum que eu nunca havia tido coragem de falar pra ninguém e também pude cuspir verdades que estavam há muito tempo engasgadas,” analisa Caio.

CAPA_CAOS
Capa do álbum “Caos”

O material foi produzido em Janeiro deste ano em uma chácara no interior do Paraná e explora até o limite todo o universo sonoro construído ao longo dos oito anos de existência da banda, que surgiu em 2012.

De forma não-linear, as faixas passeiam entre riffs pesados e agressivos e melodias melancólicas e sentimentais.

Conceito

O título do disco remete ao sentido figurado e mais popular da palavra “caos”. Nesse caso, significa uma confusão de ideias, aquele amontoado de coisas que se misturam em uma desorganização mental e espacial.

O caos estrutural que afeta diretamente a todos nós, tanto como indivíduos quanto sociedade. Com base nos sentimentos humanos, e também em grupos de pessoas, as temáticas abordadas discutem pautas sociais como homofobia, preconceito religioso, bullying, relacionamento abusivo e política.

“O Caos surgiu, antes de tudo, de uma necessidade artística, da urgência em dizer coisas que a gente julga serem relevantes nesse momento. Eu acredito que o papel da arte e do artista seja cutucar a ferida e trazer à tona coisas que nem sempre são fáceis de lidar e o álbum faz isso da forma mais crua possível”, comenta Caio, que também escreveu sobre questões existencialistas e saúde mental.

Além dele, o grupo é formado atualmente por Gabe Oliveira (Guitarra) Giovani Gonçalves (baixo) e Bruno Silos (Bateria). Eles somam aproximadamente 4 milhões de plays em suas plataformas de música e mais de 30 mil seguidores nas redes sociais.

Anteriormente, a Cefa havia lançado o álbum de estreia O Fantástico Azul ao Longe (2015) e o EP Alúmen (2019).