Crédito: Garcia
   

O cantor e compositor ZéVitor divulgou no YouTube o clipe feito para a canção “Por Onde Começar”.

O vídeo é uma animação criada por Lucas Paixão e a faixa estará no novo álbum do artista, Ressignificar, previsto para sair ainda neste mês.

O disco chega depois de muitas parcerias que antecederam o trabalho, como as colaborações com Kamaitachi, em “Bruxa”, e Konai, em “Castelo de Areia”, além de um dueto com Fagner, em “Versos Ardentes”.

O próximo álbum de ZéVitor abarca desde a contemplação do feminino, em “Lua Em Escorpião”, até o autorretrato, em “O Jeito Que Fala”, passando ainda por intertextualidades e sinestesias.

Anteriormente, o músico, filho mais novo do ator Jackson Antunes, havia lançado o álbum  Cronológico (2018) e os EPs Crônicas de Um Amor (2019) e Amor e Minimalismo (2020).

Malu Maria

Malu Maria
foto: divulgação

A cantora e compositora Malu Maria liberou recentemente nas plataformas digitais o disco Ella Terra.

O álbum apresenta oito canções, entre elas a faixa-título, “A Mentira dos Homens” e “O Mar Levou”, que já haviam sido divulgadas.

O trabalho é atravessado por temas considerados urgentes para a artista e que também podem causar identificação em tantas outras pessoas.

Gravado e produzido ao longo da quarentena, o disco conta com a participação dos músicos Eristhal, Nath Calan e Carlos Gadelha.

Tendo que repensar toda a estratégia bolada para o lançamento por causa do isolamento social, Malu reviu ideias e possibilidades para a estreia acontecer da melhor maneira possível.

“Não poder fazer show é de lascar, primeiro porque movimenta e fortalece toda uma cena. E segundo porque, pra mim, era uma fonte de renda. Mas aprendi a me adaptar abordando outras formas de me comunicar com o público: soltando uns vídeos de voz e violão, com versões de músicas de outros artistas. Dei aulas de canto, participei e fiz lives, produzi clipes caseiros,” revela.

Marcelo Callado

Marcelo Callado
foto: divulgação

O cantor, compositor e multi instrumentista carioca Marcelo Callado divulgou nas plataformas de streaming o disco Saída, através do selo YB Music.

O novo álbum sucede Caduco, lançado em 2019. Marcelo, que já acompanhou nos palcos, na função de baterista, Caetano Veloso, Alice Caymmi, Branco Mello, Kassin e Jorge Mautner, também tem no currículo os discos Meu trabalho Han Sollo vol.II (2015) e Musical Porém (2017).

Ele traz ainda em sua discografia um EP duplo, Callado Compacto (2016), e um álbum em parceria com Nina Becker, Gambito Budapeste (2012).

Das Neves

Das Neves
foto: Heitor Vallim

O músico paulista Gabriel das Neves, que assina artisticamente como Das Neves, lançou o terceiro disco de sua carreira, Interiores.

O trabalho foi desenvolvido durante a pandemia da Covid-19 e inclui lyric videos para todas as oito faixas. Além disso, dois clipes serão divulgados em breve. Todos os materiais foram editados pelo próprio artista.

“O álbum fala sobre a ideia da reclusão imposta pela pandemia. Músicas que falam sobre a vontade de estar em outros lugares, e relembrando momentos que estamos impossibilitados de viver. O material visual também mostra isso, imagens de pessoas em movimento, de lugares, e da saudade de estar do lado de fora, enquanto passamos meses do lado de dentro,” explica Gabriel, que aproveitou o isolamento social para voltar a escrever e tocar.

Maria Sabina e a Pêia

Maria Sabina e a Pêia
foto: Rafael Novak

A banda brasiliense Maria Sabina & A Pêia lançou o álbum de estreia Brincando com Fogo, que chega acompanhado do clipe feito para a música “Acima do Bem e do Mal”.

O vídeo foi dirigido por Lyanna Soares e a letra é inspirada no livro de título quase idêntico Além do Bem e do Mal, do filósofo Friedrich Nietszche.

A obra trata da capacidade que algumas pessoas têm de realizar seus objetivos ao se comportar sem se importar com questões morais, pois estão acima de dogmas socialmente construídos.

O primeiro disco cheio do grupo apresenta oito canções e traz referências diversas, dos brasileiros do Mundo Livre S/A até os americanos do Ramones.

“Álcool em gel e palavras ativas limpam um ambiente que corrói. Por isso, os festejos e as danças são nossas armas pra lutar. Desta forma, usamos do bom humor para falar de psicoativos, chifres, revoluções, viagens astrais e paixões avassaladoras,” diz a vocalista e líder do quarteto, Maria Sabina.

Além dela, formam a banda Bruno Sodré (guitarra), Bil Detrito Federal (baixo) e Éveri Sirac (backing vocal, sintetizador e violão). Anteriormente, eles lançaram o single “Potente Amor” (2018) e o EP Tempo Arruaceiro (2017).