Johnny Rotten, John Lydon
Foto: Wikimedia Commons
   

O ex-vocalista do Sex Pistols, Johnny Rotten, também conhecido como John Lydon, acaba de declarar oficialmente o seu apoio a Donald Trump na próxima eleição americana.

Em entrevista ao The Observer (via CoS), o músico justificou sua escolha dizendo que se identifica com o atual presidente dos Estados Unidos por também já ter sido rotulado de racista:

Fui acusado da mesma coisa e, por isso, fico ofendido por qualquer pessoa que seja chamada disso [racista].

Rotten pode estar se referindo a um episódio que aconteceu em 2008 quando o vocalista do Bloc Party, Kele Okereke, o acusou de um “ataque racista não provocado” nos bastidores de um festival na Espanha.

Após a declaração, o músico Stuart Braithwaite, da banda Mogwai, se manifestou nas redes sociais e escreveu que presenciou a cena em que Johnny Rotten “usou linguagem racista” contra Okereke.

Stuart ainda afirmou que Lydon usar esse argumento para votar em Trump é “extremamente revelador” e classificou a atitude do ex-Sex Pistols de decepcionante.

Johnny Rotten e Donald Trump

O ex-líder de uma das maiores bandas inglesas da história ainda disse na mesma entrevista que Trump é a única escolha sensata neste momento e que Joe Biden, seu opositor, é incapaz de comandar os Estados Unidos.

Questionado sobre o triste episódio que resultou na morte de George Floyd, Lydon disse que aquilo foi horrível, mas que não significa que todos os policiais sejam desagradáveis e todo branco seja racista.

O músico também falou que “todas as vidas importam”, fazendo referência (e contraponto) ao movimento Black Lives Matter.

Ele pode votar nas eleições dos Estados Unidos porque desde 2013, além das cidadanias britânica e irlandesa, também tornou-se cidadão do país.

LEIA TAMBÉM: Johnny Rotten (Sex Pistols) mostra apoio a Donald Trump e enfurece seguidores

Por Felipe Tellis e Tony Aiex