Geezer Butler
Foto via Wikimedia Commons
 

Geezer Butler, baixista do lendário Black Sabbath, está aproveitando o tempo de quarentena para escrever um livro sobre os primórdios da banda.

Em entrevista à Wall of Sound (via Loudwire), o cara falou que tem sido o maior período em casa nos últimos 50 anos e brincou que “meus cachorros e gatos estão amando — minha esposa não muito” antes de revelar o que tem feito nesse período:

Com minha base aqui em Los Angeles, eu já me aventurei e peguei a estrada algumas vezes, principalmente por Utah, meu estado favorito nos EUA. Mas além disso eu tenho lido [muitos] livros, assistido muita televisão, comido demais e brincado com vários novos baixos — principalmente baixos de cinco, seis e até sete cordas.

No momento estou escrevendo um livro sobre crescer em Aston, Birmingham e como o Sabbath surgiu… mas eu estou realmente curtindo a semi-aposentadoria e não ter que fazer nada ou estar em qualquer lugar, especialmente depois de estar longe de casa pela maior parte dos últimos 50 anos.

50 Anos de Black Sabbath

Em outro trecho da conversa, Butler ainda refletiu sobre o aniversário de 50 anos dos dois primeiros discos da banda, o homônimo Black Sabbath e o Paranoid. Ele diz:

Cada geração, conforme fica mais velha, quer olhar com carinho para seus anos mais jovens, e a música é uma ótima forma de reviver esses sentimentos que tiveram em seus dias mais jovens. Não há como negar que tivemos algumas músicas incríveis lá nos anos 60 e 70, muitos estilos e ideias variados que ainda soam relevantes hoje, e com cada geração ainda há uma demanda por essas músicas.

É bem por aí, mesmo! Vale lembrar, aliás, que uma das comemorações feitas pelo Sabbath é uma parceria sensacional com a marca de calçados Dr. Martens, que recriou as capas dos discos em botas.

LEIA TAMBÉM: Há 50 anos, Black Sabbath mudava a história do Rock com o clássico “Paranoid”

 
Compartilhar