Fast Forward e Coquetel Molotov
Reprodução / arquivo pessoal

Por Natalia Salvador

Por conta do isolamento social provocado pelo novo coronavírus, o setor de eventos, de maneira geral, sofreu e continua sofrendo grandes impactos econômicos. Ao se depararem com o cancelamento de suas atividades os profissionais da área precisaram se reinventar e buscar alternativas. Para entender um pouco mais dessa realidade atual, o podcast Fast Forward recebeu os idealizadores do festival Coquetel Molotov e do espaço cultural Casa:Link para debater novos formatos e as expectativas para o futuro. Saiba mais!

No bate papo, Ana Garcia, criadora do Coquetel Molotov, contou como foi o processo de pesquisa para o desenvolvimento da edição online do festival. Para ela, o mais importante antes de pensar em qualquer formato era passar por diferentes experiências e proporcionar vivências especiais para seu público. Depois do sucesso da primeira edição reformulada, Ana afirma que é preciso ser criativa todos os dias. “Vão ser liberados eventos para grupos pequenos? As pessoas vão preferir se reunir em casa para curtir um festival juntos?”, mencionou.

Isolamento social estimula criação de diferentes propostas para entretenimento

Já Ricardo Rodrigues, criador da agência Let’s Gig e do espaço cultural virtual Casa:Link, sentiu a necessidade de criar suas próprias possibilidades. Para artistas de médio e pequeno porte as oportunidades de lives patrocinadas estavam voltadas aos grandes artistas. Pensando nisso, surgiu a Casa:Link, uma identidade que traz para o digital a lógica de comunidade e pertencimento tão presentes nesse tipo de eventos quando presenciais.

O podcast Fast Forward discute temas do mercado da música semanalmente e é uma parceria entre Milk, Musica Copyright & Tecnologia, U.Got Studios e Tenho Mais Discos Que Amigos.

A conversa completa sobre o momento atual do segmento de shows e eventos você confere no player abaixo: