Ouça playlist com clássicos do Rock!  

O dia 24 de Setembro de 1991 foi absolutamente histórico para a música — e por mais de um motivo: nesta mesma data, três bandas incríveis lançaram discos que viriam a mudar o curso da indústria.

O Nirvana disponibilizou o marcante Nevermind, que popularizou a sua nova vertente de Grunge e transformou o grupo de Kurt Cobain em uma verdadeira lenda, ainda mais depois de tudo que aconteceu nos anos seguintes.

Enquanto isso, o Red Hot Chili Peppers dava um salto de popularidade com Blood Sugar Sex Magik, que mostrava a banda explorando suas fronteiras para além do Funk e produzindo um de seus maiores hits, a balada emocionante “Under the Bridge”.

Por fim, o “Grunge raiz” do Soundgarden voltava mais forte do que nunca com o aclamado Badmotorfinger, considerado por muitos o melhor álbum de Chris Cornell e companhia e casa de hits como “Rusty Cage” e “Outshined”.

Sendo assim, não dá para não fazer um passeio pela história e falar um pouco sobre cada um deles. Aproveitando, siga o TMDQA! no Instagram onde sempre relembramos esses discos icônicos e também postamos diariamente sobre novidades da música e do entretenimento!

Nirvana

Com todo respeito aos outros dois, é incontestável que Nevermind acabou sendo o disco mais impactante entre os três históricos deste 24 de Setembro.

Apenas dois singles já resumem a dimensão dessa obra: “Smells Like Teen Spirit” e “Come As You Are”, dois dos maiores sucessos não apenas do Rock mas também de toda a história da música, fizeram com que a onda Grunge deixasse seu próprio nicho e tomasse conta do mundo nos Anos 90.

Por mais que outros grupos da cena sejam até mais lembrados pela sua influência musical e sua longevidade, como o Pearl Jam, o fato é que Nevermind colocou o Nirvana nos maiores palcos do planeta e hinos como “In Bloom”, além das já citadas, seguem embalando fãs da música e conquistando uma legião de novas pessoas ano após ano.

Alguns chegam até a dizer que o álbum é o maior do Rock em todos os tempos, mas isso não cabe a nós decidir — o que podemos fazer, no entanto, é te contar 25 coisas que talvez você não soubesse sobre esse marcante disco.

Continua após a publicação

Red Hot Chili Peppers

Blood Sugar Sex Magik foi o disco que colocou o Red Hot no radar mundial de vez.

Depois de se estabelecer em cenas menores como uma banda potente ao vivo e bastante voltada ao Funk, o trabalho mostrou que os caras poderiam ir muito além disso e muito foi por conta do que explicamos acima envolvendo o maior hit do álbum.

No entanto, a presença de canções como “Suck My Kiss” e “Give It Away”, que transformavam o groove de FleaJohn Frusciante Chad Smith em algo mais palpável e radiofônico ajudou demais a impulsioná-lo — assim como outra canção mais emotiva, a ótima e quase Pop “Breaking the Girl”.

Há quem diga que é o melhor álbum dos caras e quem ache que o conjunto da obra, fora os hits, não é tão bom assim.⁠

Independentemente de tudo isso, o disco tem uma história incrível envolvendo John Frusciante e a guitarra usada por ele para compor “Under the Bridge” e você pode saber mais sobre isso por aqui.⁠

Continua após a publicação

Soundgarden

Com produção do incrível Terry Date, que já havia trabalhado com a banda antes e depois assumiu grupos como DeftonesBadmotorfinger foi o primeiro disco do Soundgarden com Ben Shepherd no baixo e sua diferença já era sentida nas composições.

Ele é co-autor da sensacional “Jesus Christ Pose”, uma favorita pessoal deste que escreve ao lado de “Searching with My Good Eye Closed” e “Room a Thousand Years Wide”, que ajudam a compor a escalação de faixas verdadeiramente impressionante do trabalho — é difícil apontar sequer uma canção ruim no disco.

Ainda assim, é fato que “Outshined” disparou nas paradas e se tornou o primeiro verdadeiro hit do grupo, ajudando a impulsionar as vendas não apenas deles mas de toda a geração do Grunge, que viu Nevermind no mesmo dia e o marcante Ten, do Pearl Jam, poucas semanas antes.