Agradecimento de Dave Mustaine em vídeo
 

O lendário Dave Mustaine está lançando um novo livro autobiográfico sobre o processo de criação do incrível disco Rust in Peace.

Intitulado Rust in Peace: The Inside Story of the Megadeth Masterpiece, o trabalho conta uma história que passa (e muito) pelo uso de drogas, mas se engana quem acha que as substâncias são mencionadas de maneira positiva.

Em entrevista à Metal Hammer, Mustaine falou sobre o fato de David Ellefson ter dito, em um trecho, que o Rust in Peace foi “uma obra prima criada na escuridão da heroína”. Quando perguntado sobre “quão crucial foi estar doidão para fazer o álbum”, o frontman respondeu:

Essa é uma pergunta muito boa. Eu acho que isso é colocar muito mérito na euforia das drogas, porque elas já tinham parado de agir bem depois de começarmos [o álbum]. É como diz o velho ditado — primeiro o homem toma uma bebida, depois a bebida toma uma bebida, depois a bebida toma o homem. O mais triste é que, eu estava tão aberto com a minha vida devassa e com o fato de que se você não gostasse disso, eu ia brigar com você. Isso não acabou muito bem para mim no Metallica, mas era assim que eu era. Era um estilo de vida. Éramos garotos da rua, e ninguém podia me dizer o que fazer — nem agora, nunca. Conforme eu comecei a ficar mais saudável, eu comecei a perceber que eu poderia tocar guitarra [sóbrio], e há muito mais para a vida do que ficar contrabandeando coisas e tentando sempre ter algo com você.

Dave Mustaine e as drogas

Em outro trecho do papo, o entrevistador ressalta o quanto o livro foca nas partes ruins do vício e Mustaine responde dizendo que não consegue compreender o porquê de alguém glorificar o uso de drogas:

Se você vai falar de drogas, você vai precisar de um espécime que já teve experiência com a dita substância e a sequela cerebral, por assim dizer. É com essa pessoa que você está falando. Drogas fazem um cara trair a esposa, fazem a esposa trair o marido, fazem jovens chupar pintos em um beco para arrumar uma dose. É só uma loucura. Por que eu iria querer glorificar algo assim?

É, que bom que Dave venceu essa batalha!

 
 
Compartilhar