Matuê
Foto por Felipe Vieira
 

Depois de três anos lançando singles e se tornando um dos nomes mais respeitados do Trap no Brasil, Matuê finalmente divulgou seu primeiro disco Máquina do Tempo e a obra chega cheia de detalhes especiais.

Além de extrapolar as barreiras do Trap e incorporar novas influências orgânicas, o trabalho traz um conceito de viagem no tempo e, em uma jornada colorida, alucinógena e ao mesmo tempo cyberpunk, o artista apresenta uma narrativa bem diferente do que estamos acostumados ao unir o mundo surreal com situações cotidianas.

Um dos destaques do disco, sem dúvida alguma, é a faixa-título que o encerra. Ela traz um sample de “Como Tudo Deve Ser”, um dos maiores sucessos do Charlie Brown Jr., totalmente ressignificado e reinterpretado pelo músico — que conta ter regravado todos os instrumentos e orgulhosamente diz que “domina qualquer instrumento que colocar a mão”.

Matuê também serviu como produtor do álbum lançado pela 30PRAUM e Sony Music e, segundo o próprio, pode ser digerido de duas formas: fracionado, música a música, adicionado às favoritas em playlists e curtindo individualmente cada canção, ou ouvindo o disco na totalidade, do começo ao fim, embarcando em uma jornada que envolve um mundo digno das melhores ficções científicas de Hollywood e psicotrópicos.

É só dar o play a seguir e curtir os audioclipes assinados por Stefan Mathez para cada uma das sete faixas do disco!

Matuê – Máquina do Tempo

 
Compartilhar