Os 9 únicos artistas da história a terem dois discos Número 1 no mesmo ano
Fotos via Wikimedia Commons
 

Lançar dois discos em um único ano já pode ser uma tarefa bem difícil para grande parte das bandas do mundo, até porque o trabalho que envolve a concepção desses álbuns vai muito além das composições em si.

Ainda assim, são inúmeros casos de situações do tipo. Hoje em dia é natural que isso aconteça com menos frequência, já que as turnês são muito maiores e fazem com que as obras sejam obrigadas a “render” mais, mas é possível pensar em vários exemplos nas últimas duas décadas.

Outra questão totalmente diferente, no entanto, é imaginar a situação de não apenas lançar dois discos no mesmo ano como também fazer com que ambos cheguem ao Número 1 das paradas da Billboard, que ranqueia os lançamentos com base em suas vendas.

Esse feito só foi alcançados por oito artistas até hoje e, na lista a seguir, você confere todos eles em ordem cronológica!

The Beatles (1966)

É claro que a primeira banda a alcançar essa marca espetacular foi The Beatles. O mais impressionante é que não foram só dois: o grupo é um dos únicos 2 a ter TRÊS trabalhos no número 1 durante o mesmo ano, e isso aconteceu em 1966.

Em Janeiro, Rubber Soul foi o primeiro a alcançar a marca. Em seguida, Yesterday and Today repetiu o feito em Julho, com Revolver fechando a trinca em Setembro.

Impressionante!

The Monkees (1967)

A febre com o The Monkees foi algo inexplicável. E, ainda que não tão duradoura quanto a dos Beatles, também deixou a marca impressionante de ser o único outro grupo a conseguir três discos no número 1 em um mesmo ano.

O primeiro foi More of the Monkees em Fevereiro de 1967, seguido por Headquarters em Junho e Pisces, Aquarius, Capricorn and Jones LTD em Dezembro.

Led Zeppelin (1970)

Ah, o clássico Led Zeppelin! O ano de 1970 na música foi marcado em grande parte pelo fato da banda ter tomado conta do mundo e isso aconteceu muito graças aos discos Led Zeppelin II Led Zeppelin III.

Ambos chegaram ao topo naquele ano, ainda que II tenha sido lançado em 1969.

Garth Brooks (1992)

Demorou 22 anos, mas finalmente alguém conseguiu repetir o feito depois do Led Zeppelin. O lendário cantor Country Garth Brooks foi o responsável por isso, tendo surfado na onda de Ropin’ the Wind (1991) para entrar bem em 1992 e conseguindo alcançar o topo novamente com The Chase, lançado em Setembro daquele ano.

Vale lembrar que, em Agosto de 92, ele ainda soltou o disco Beyond the Season — o pico do álbum foi no segundo lugar. Quase!

2Pac (1996)

Depois de Brooks, o intervalo para o feito se repetir foi curto. E isso só aconteceu graças ao “boom” do Rap nos anos 90, que impulsionou o lendário 2Pac ao topo das paradas duas vezes em 1996.

A primeira foi com All Eyez on Me, talvez o disco mais aclamado do cara, e a segunda com The Don Killuminati: The 7 Day Theory, que foi lançado sob o pseudônimo Makaveli mas não deixava de ser um álbum de Tupac Shakur.

Jay-Z (2004)

A paixão pelo Rap continuou nos anos após o precoce falecimento de 2Pac, e uma nova geração se viu capitaneada pelo sucesso do pioneiro Jay-Z. Ele repetiu a marca do lendário Pac em 2004, e curiosamente envolveu colaborações nas duas obras que chegaram ao primeiro lugar.

Falamos de Collision Course, parceria do cara com o Linkin Park, que assumiu o topo das paradas alguns meses depois de Unfinished Business, (infelizmente) uma colaboração com R. Kelly.

System of a Down (2005)

Talvez a marca mais impressionante dessa lista seja a do System of a Down. 35 anos depois do Led Zeppelin ser a última banda de Rock a ter dois discos no número 1 das paradas, o SOAD conseguiu essa proeza mesmo com um som bem mais pesado do que as rádios costumam tocar.

É claro que falamos da dupla de discos Mezmerize Hypnotize, que chegou em 2005 e nos deu hits como “B.Y.O.B.” e “Lonely Day”.

Drake e Future (2015)

O nome mais recente a atingir essa marca absurda é, curiosamente, uma dupla: os rappers Drake e Future lançaram um disco solo cada que chegou ao topo das paradas em 2015 e, depois, o trabalho colaborativo dos dois também alcançou o primeiro lugar.

If You’re Reading This It’s Too Late (Drake), DS2 (Future) e What a Time to Be Alive (parceria entre ambos) chegaram ao número 1 naquele ano. Vale lembrar, ainda, que isso colocou o canadense Drake como o primeiro artista desde o Led Zeppelin a não vir dos EUA e completar esse feito.