Jup do Bairro -
Reprodução/YouTube
 

Presença na nossa lista de 15 rappers do cenário nacional para prestar atençãoJup do Bairro segue dando ainda mais vida ao incrível EP CORPO SEM JUÍZO.

O novo capítulo da obra é um clipe para a ótima “LUTA POR MIM”, faixa que a própria artista descreve como uma “espécie de manifesto e desabafo sobre nossos corpos pretos”.

A “triste análise” serve como última parte da saga visual do EP, encontrando significado como “a morte, mas não a morte como um fim, uma morte que é cíclica e espiral”. Jup explica o conceito:

O apelo visual contínuo é uma extensão desse corpo que foi apresentado desde ‘ALL YOU NEED IS LOVE’ de formato sequencial. A faixa também ganha uma introdução com mães que perderam seus filhos sob ações policiais e a profetização de que ‘eu não vou morrer’, em contradição, dando vida a esses corpos.

Um destaque interessante é que Dona Sueli — mãe da artista — aparece no vídeo. Sobre isso, Jup também tem um depoimento forte em que relata a importância de ter sua própria mãe como símbolo da luta que vive todos os dias:

Um dia minha mãe me disse que o problema dela nunca foi em eu ser travesti, mas o quão ela fica apreensiva por eu levar uma vida sem sossego. Sossego que ela também não teve, mas nesse caso, sendo uma mãe preta num país que o genocídio da população jovem de pele escura é tradição.

Ter a minha mãe como símbolo dessa luta é muito importante, uma mulher que tanto lutou por mim e agora eu luto por ela. Ela é muito tímida, detesta aparecer em câmeras, mas quando eu disse que era pra essa faixa ela não pensou duas vezes: é uma de suas favoritas.

A faixa é uma parceria com o rapper Mulambo — e “tinha que ser” com ele, de acordo com Jup. Ele afirma que “parece uma música feita pro agora”, ainda que tenha sido “escrita antes de tudo isso [o movimento #VidasNegrasImportam] surgir”, e explica:

Isso diz muito sobre a época que a gente vive, de que uma música escrita na década de 90 pelos Racionais ainda faz total sentido hoje. É de entristecer ver que as coisas não mudam. E o papel da arte, eu acredito que seja o de evidenciar: falar do que tá acontecendo, doa a quem doer. Dar a visão das pessoas que não têm voz. Dar voz a essas pessoas, porque geralmente quem não é escutado, é quem tem mais a dizer.

Você pode assistir ao belíssimo clipe logo abaixo, com direção de Rodrigo de Carvalho e roteiro colaborativo entre Jup, Rodrigo e Felipa Damasco.

Jup do Bairro feat. Mulambo – “Luta por Mim”

 
Compartilhar