John Boyega como Finn em

John Boyega ganhou muita notoriedade no mundo do cinema graças à sua atuação como Finn na trilogia mais recente da franquia Star Wars, mas isso não quer dizer que ele tenha ficado plenamente feliz com o tratamento que recebeu da Disney, empresa responsável pela série.

Em uma nova entrevista à GQ do Reino Unido (via The AV Club), ele falou sobre o tratamento que teve não apenas dentro do ambiente de filmagem mas também pelos fãs da franquia, que em diversos momentos apresentaram comportamentos racistas:

Eu fui o único membro do elenco que teve sua própria experiência única daquela franquia baseada em sua raça. Vamos só deixar por isso mesmo. Te deixa bravo com um processo como esse. Te deixa muito mais militante; te muda. Porque você percebe, ‘Eu recebi essa oportunidade mas eu estou em uma indústria que nem sequer estava pronta para mim’.

Ninguém mais no elenco teve [que ouvir] pessoas dizendo que iriam boicotar o filme porque [eles estavam lá]. Ninguém mais teve o tumulto e as ameaças de morte mandadas às suas mensagens privadas do Instagram e mídias sociais, dizendo ‘Negro isso e negro aquilo e você não devia ser um Stormtrooper’. Ninguém mais teve essa experiência. Mas ainda assim as pessoas ficam surpresas que eu seja dessa forma. Isso é a minha frustração.

Ele também fala bem claramente sobre a frustração com a forma que a Disney deixou de lado seu personagem em momentos chave da trilogia, fazendo o mesmo com outros como Rose (Kelly Marie Tran) e Poe Dameron (Oscar Isaac):

O que eu diria à Disney é não traga um personagem negro, o venda como alguém muito mais importante à franquia do que realmente é e aí o deixe de lado. Não é bom. Eu vou mandar a real. Tipo, vocês sabiam o que fazer com a Daisy Ridley [Rey, no filme], vocês sabiam o que fazer com o Adam Drive [Kylo Ren, no filme]. Vocês sabiam o que fazer com essas outras pessoas, mas quando se tratava da Kelly Marie Tran [Rose], quando se tratava do John Boyega [Finn], vocês não sabiam porra nenhuma. Então o que vocês querem que eu diga? O que eles querem que você diga é, ‘Eu adorei fazer parte disso. Foi uma ótima experiência…’. Não, não, não. Eu vou fazer isso quando for uma ótima experiência. Eles deram toda a nuance ao Adam Driver, toda a nuance à Daisy Ridley. Vamos ser sinceros. A Daisy sabe disso. O Adam sabe disso. Todo mundo sabe. Eu não estou expondo nada.

Por fim, John ainda defende o diretor J.J. Abrams, que segundo ele “não deveria nem ter voltado e tentado salvar essa merda”, em referência ao que ele acredita que tenha sido um péssimo trabalho de Rian Johnson no Episódio VIII. “Vocês têm que deixar o meu garoto em paz”, completa o ator.

John Boyega

Vale lembrar que, em Junho, Boyega viralizou ao participar de um protesto do Black Lives Matter em Londres com um discurso inflamado e necessário para os tempos atuais. Você pode saber mais sobre isso por aqui.

LEIA TAMBÉM: Star Wars: John Boyega visita hospital infantil vestido como Finn

 
Compartilhar