James LoMenzo (ex-Megadeth)
Foto via Wikimedia Commons

James LoMenzo, ex-baixista do Megadeth, não tem palavras muito simpáticas para oferecer a Daniel Ek, presidente do Spotify.

Depois de uma declaração polêmica na qual Ek falava aos músicos que a solução para o pagamento ínfimo que a plataforma faz a eles é “gravar mais discos”, o CEO foi recebido com duras críticas de artistas como Mike Portnoy (Dream Theater, etc.) e Dee Snider (Twisted Sister), como te contamos por aqui.

LoMenzo é o mais novo a soltar o verbo sobre o executivo em uma entrevista com Don Jamieson (via Blabbermouth), e não teve papas na língua para expressar sua insatisfação com o modelo adotado pela empresa e com as declarações de Daniel:

Ele que se foda! Agora mesmo. Deus, se ele entrar numa sala com qualquer um de nós, cara, ele não vai ficar muito feliz sobre isso. Isso é ganância. Ele deveria estar na cadeia com Bernard Madoff [condenado por esquema Ponzi]. Ele está nos roubando cegamente. E quer saber? Não havia como evitar isso.

Eu sei que todo mundo adora a conveniência dos MP3s — eu adoro — mas o ponto é que nós antigamente podíamos levar meses e meses, se não um ano ou dois anos, e se levasse cinco anos, a gente podia sentar ali e fazer uma obra de arte para as pessoas que duraria para sempre. Você se pergunta por que a música está se tornando tão descartável. É parte dessa consciência de só, você sabe, a música é só… é para o momento.

Eu e você crescemos em um tempo onde nós tínhamos um álbum e essa seria a nossa vida por um mês. E aí nós levaríamos isso conosco para o resto de nossas vidas. Esse tipo de modelo de negócios está roubando as pessoas dessa experiência, e está impulsionando as pessoas para além da arte dela, o que é, de maneira triste, onde estamos indo parar.

Você só pode se rebelar até um certo ponto — digo, se o gosto popular quer isso, tudo bem — mas exacerbar isso através da ganância, eu não acho que é uma busca nobre, a não ser que você seja ganancioso.

Continua após o vídeo

James LoMenzo e Megadeth

Desde sua saída do Megadeth em 2010 — ele esteve em apenas dois discos, United Abominations (2007) e Endgame (2009) — LoMenzo tem trabalhado em vários projetos e, mais recentemente, entrou na banda Firstborne, comandada por Chris Adler (ex-Lamb of God).

Já o Megadeth teve de lidar recentemente com os problemas de saúde de Dave Mustaine mas está no processo de finalizar seu próximo álbum.