Napkin
Crédito: Debora Mattos
 

O duo Napkin, formado por Kimberly Neves e Natana Alvarenga, liberou no YouTube o clipe para a faixa “Soul on Fire”, em parceria com a DJ e produtora narrow-j. A gravação do vídeo contou com uma equipe técnica majoritariamente feminina, com destaque para Karina Oliveira, que estreou como diretora.

A premissa é falar sobre a violência contra mulher, e para isso a dupla usa diversos dados. Durante a quarentena, por exemplo, pôde-se observar uma alta de 46% no feminicídio, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

“O que queremos trazer à tona é como o tema está presente no dia a dia de todas as mulheres, desde a nossa fase de crescimento até a vida adulta. Infelizmente, como mulheres, pelo menos em algum estágio das nossas vidas já experienciamos algum tipo de abuso ou opressão. Em algum momento já nos sentimos invadidas, desrespeitadas e abusadas, muitas vezes por conta da normalidade imposta pela sociedade machista que acaba nos fazendo acreditar que não temos direito a um amparo”, desabafa narrow-j.

“Soul on Fire” integra o álbum I.NN.PAK, lançado no ano passado.

Sophia Stedile

Sophia Stedile
foto: divulgação

A cantora e compositora paulistana Sophia Stedile lançou nas plataformas digitais, através da Alma Music, a faixa “Toda Vez”. O single foi escrito em parceria com Arthur Favero e conta a história de um relacionamento iôiô.

“A letra fala sobre uma mulher que quer superar alguém, se afastar, mas acaba sempre retornando para aquela pessoa. É aquele tipo de relacionamento que mexe com a gente, de alguém que sabe te tirar do seu descanso e te deixar sua vida de ponta cabeça, mas de uma maneira boa,” afirma Sophia, de apenas 20 anos.

Ela já está em seu sétimo lançamento pela Sony e acumula mais de 1 milhão de streams, somando mais de 200 mil ouvintes mensais no Spotify.

Chico de Barro

Chico de Barro
foto: Lucas Santos

O grupo carioca Chico de Barro disponibilizou nas plataformas de streaming, em formato ao vivo e intimista, a música “Só Mais Uma”. A faixa marca o início da parceria com o selo PWR Records e foi gravada durante a quarentena na casa da vocalista e guitarrista Nathanne Rodrigues.

Para divulgar o lançamento, a banda postou em seu perfil no Instagram a campanha intitulada “correio da saudade”, em que o público relata com imagens e pequenos bilhetes de quem ou o que está sentindo falta ao longo do isolamento social.

“Só Mais Uma” chega quase quatro anos depois da estreia da Chico de Barro com o EP Nogueira. Além de Nathanne, o quarteto é formado por Pedro Ryan (teclado), Pedro Martins (baixo) e Pedro Millecco (bateria).

Kalouv

Kalouv
foto: reprodução

A banda pernambucana Kalouv lançou nas plataformas de streaming o clipe feito para a canção “Talho”, que traz a participação de Dinho Almeida, do Boogarins.

O vídeo, montado e editado por Luara Olívia com finalização por Jão Vicente, apresenta uma série de registros que revisita momentos importantes vividos pelos integrantes.

O lançamento comemora os dez anos de carreira do grupo e também marca a primeira vez que eles divulgam um trabalho com letra e voz. Ligada à música instrumental desde sua criação, nesta nova fase a banda aposta nos elementos percussivos, com a inclusão de ganzá, garrafas e metalofone.

“Musicalmente falando, é uma faixa que simboliza uma extensão do que a Kalouv desenvolveu nos últimos anos. Saindo da vibe mais introspectiva dos primeiros trabalhos para uma composição que remete a elementos da música brasileira, do R&B e do indie pop. O metalofone e as percussões também trazem novas cores para o nosso som,” afirma o guitarrista Túlio Albuquerque.

Os Texugos

Os Texugos
arte: Paulo Rocker

A banda Os Texugos liberou no YouTube o clipe feito para a música “Anos 80”, que integra seu EP de estreia, Quarentena em Hill Valley.

O vídeo, dirigido à distância por Sérgio Caldas, mostra os integrantes em suas casas durante a quarentena e também exibe cenas de filmes icônicos da década de 1980.

Alguns deles são De Volta para o Futuro, Os Goonies, Os Garotos Perdidos, Os Gremlins, Curtindo a Vida Adoidado, Sexta-Feira 13 e História sem Fim.

“A faixa com certeza tem um certo saudosismo da banda, somos muito fãs de coisas antigas, que remetem a nossa infância. Tentamos homenagear na letra alguns filmes que marcaram nossa geração. Esta foi uma época em que o acesso às músicas e a cultura em geral era mais difícil, talvez por isso valorizássemos um pouco mais,” opina o vocalista e guitarrista Diogo Clock.

Completam a formação do grupo, Conra Hirt (baixo), Cezar Iensen (bateria) e Marcelo Vieira (guitarra). Recentemente, eles também divulgaram outras faixas que estão no compacto, como “Gambler Girl” e “Toda Vez que Eu Como Yakisoba Eu Penso Naquela Garota”.